Domingo , Outubro 25 2020
ÚLTIMAS
Home / RALI / Emoção até final no título de… Fontes (por Paulo Homem)
Emoção até final no título de… Fontes (por Paulo Homem)

Emoção até final no título de… Fontes (por Paulo Homem)

O clima de muita tensão que se viveu após o derradeiro troço do Rali Casinos do Algarve, provou que o ambiente acabou por não ser de muita festa no fecho do Nacional de Ralis.

O resultado final dá como vencedor do rali Ricardo Moura, que fez uma prova excelente e cumpriu totalmente com a sua parte, mas o mesmo resultado final permite que José Pedro Fontes seja o novo Campeão Nacional, sucedendo a Pedro Meireles, mantendo o título na estrutura da Sport&You.

Porém, o “caso” do ano será o furo de Pedro Meireles, a dois troços do fim, que fez com o piloto do Fabia R5 perdesse o segundo lugar no rali e assim permite-se a Fontes subir ao segundo lugar e somar os pontos necessários para se sagrar campeão.

“Estou muito contente, como é óbvio. Fui o piloto que mais troços ganhei este ano e por isso penso que mereço este título”, comentava no final do derradeiro troço em jeito de balanço rápido, dizendo ainda que “não foi um rali nada fácil”.

O dia começou com Carlos Vieira na frente mas logo no troço inaugural saiu de estrada e bateu, tendo depois problemas de transmissãoo, ficando apenas com tração dianteira, que o levou a descer vários lugares na classificação (ficou em 4º), mas fica a certeza de que estamos em presença de um “McRae” potencia, após mais uma excelente exibição.

Carlos Martins teve um rali em alta. Andou muito depressa e apesar de alguns azares (problemas de acelerador no derradeiro troço) terminou num excelente terceiro lugar da classificação final.

Pedro Meireles desceu ao quinto lugar, depois do furo que teve no Skoda na frente do lado direito, perdendo um segundo quase certo.

Destaque ainda para Ricardo Teodósio, que cedo se viu impossibilitado de discutir o pódio, mas que terminou em alta ao vencer o derradeiro troço, dando um ar da sua graça na despedida do Nacional de Ralis.

O segundo grande campeão do dia foi Marco Cid. Mesmo com um Clio S1600 sem autoblocante nos três troços finais, o piloto chegou ao final do rali e sagrou-se campeão nas duas rodas motrizes.

Uma palavra para o imenso profissionalismo de João Ruivo que fez o que era possível com o budget disponível. Levou a discussão do título até ao derradeiro troço e foi um digno vencido, depois de mais um grande registo nesta prova.

O terceiro campeão foi márcio Marreiros. O piloto levou o Evo até final, mesmo como o motor a falhar, mas só o facto de ter terminado dá-lhe novamente o título de Campeão FPAK de Ralis Sul.

Mesmo assim, Luís Mota regressou às vitórias no Regional Sul, o que não foi suficiente para o manter na luta pelo título.

 

algarvefinal15

 

Fonte: www.ralisonline.net-Paulo Homem

 

Scroll To Top