Domingo , Novembro 17 2019
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Emoção e muito público marcam sucesso do Estoril Classics
Emoção e muito público marcam sucesso do Estoril Classics

Emoção e muito público marcam sucesso do Estoril Classics

O segundo dia do Estoril Classics carimbou o sucesso do evento deste ano, com muito público a afluir ao Autódromo do Estoril e com corridas e máquinas que deixarão memórias vivas nos adeptos que se deslocaram à mais antiga pista permanente de Portugal. O evento de Historic Racing pretende juntar as grandes disciplinas do desporto motorizado desde a F1, Sports Cars, Motos, Rally, Turismos e GT e a verdade é que conquistou novamente imenso público.

O dia irrompeu com o desfile das máquinas de diversos clubes presentes no evento, para se seguir o Spirit of Speed – FIM 70th Anniversary, com diversas motos a evoluírem no traçado do circuito situados nos arredores de Cascais.

O “pequeno almoço” competitivo foi dado ao público que já se juntava nas bancadas pelo emotivo Troféu Mini, que juntou dezassete concorrentes que prometiam muita animação

Na primeira corrida, depois de intensas lutas e indefinição até à bandeirada de xadrez, era Philippe Quirière que vencia, sendo acompanhado na subida ao pódio por Fernando Soares e Jorge Correa. Nos Minis de grupo 1, reservados ao Troféu Mighty MINI, o vencedor foi Manuel Teixeira.

Na segunda prova, realizada ao fim da tarde, a receita foi a mesma. Grande emoção e lutas no meio do pelotão, mas o francês voltaria a triunfar, seguido por Fernando Soares, ao passo que António Silva completaria o pódio. Na luta mais aguerida entre os Minis do Troféu, o vencedor desta segunda corrida foi Paulo Leitão.

Se os Mini impressionavam pela irrequietude, a categoria seguinte, a Classic F1 Pre-1986 apelavam aos sentidos de todos os presentes – o cantar agudo dos motores, as cores, a velocidade, deixavam qualquer um de queixo caído, apesar dos mais de trinta anos que qualquer monolugar já ostentava no seu “Cartão de Cidadão”.

A primeira prova do programa viu o vistoso Tyrrell 012 de Martin Stretton a impor-se, batendo o clássico Lotus 91-07 de Katsuaki Kubota e o Shadow DN8 de Jamie Constable, depois do japonês e do inglês terem trocado de posições por algumas vezes.

A segunda corrida do dia do Classic F1 Pre-1986, foi disputada já durante a tarde, depois da pausa de almoço, apresentando-se a Bancada A do Autódromo do Estoril cheia para voltar a sentir os motores dos carros de Grande Prémio ecoarem pelo circuito.

Martin Stretton voltou a ditar a lei do seu Tyrrell, vencendo a segunda corrida, seguido pelo berrante McLaren M26 de Frank Lyons, que de manhã abandonara. Jamie Constable voltaria a repetir o terceiro lugar com o seu Shadow, ao passo que Katsuaki Kubota sentia problemas na caixa de velocidades do seu Lotus, abandonando.

O FIA Lurani Trophy voltou a dar uma ideia do que eram as fórmulas de promoção de antigamente. Os monolugares da antiga Fórmula Junior mostraram que ainda obtêm performances muito respeitáveis, permitindo a Richard Bradley (Brabham BT2) vencer, seguido de Mark Shaw (Brabham BT6) e Bruno Weibel (Lotus 22), repetindo o pódio da prova de ontem.

Dos monolugares dos anos cinquenta e sessenta passou-se para o exotismo dos protótipos, GT e turismos dos anos sessenta e setenta, com o Iberian Historic Endurance. O pódio teve um representante de cada uma das categorias, com Carlos Barbot a impor o seu Merlyn Mk4 frente ao Ford Escort RS 1600 de Miguel Ferreira e Francisco Carvalho e ao Ginetta G10 de James Guess e James Hilliard.

Depois dos desfiles de clubes e da celebração do 60º aniversário da MINI com mais de 200 MINI em pista, os carros de rali voltaram à recta da meta do Autódromo do Estoril para mais um slalom de exibição, levando o imenso público que ocupava a bancada A ao êxtase. Ari Vatanen e Mikko Hirvonen voltaram a impressionar pela mestria com que negociavam os mecos, sempre a bordo das máquinas nas quais se notabilizaram – Opel Manta 400 e Ford Focus WRC, respectivamente.

A tarde abriu com nova revisitação ao passado da Fórmula 1, desta feita através do HGPCA F1 – Pre 1966, voltando os Brabham, Lotus, Cooper, entre outros a assumir o protagonismo.
Jon Fairley em Brabham BT11 repetiu o triunfo de ontem, ao bater Andrew Beaumont por um segundo, numa corrida em que a indefinição durou até à última volta. Sid Hoole, em Cooper T66 F1 completou o pódio, tendo esta prova servido de aperitivo aos concorrentes da Classic F1 Pre 1986.

Do passado da categoria máxima do desporto automóvel os espectadores que enchiam o Autódromo do Estoril passaram para as máquinas que evocam o passado do ícone que são as 24 Horas de Le Mans.

Max Hilliard e Nick Padmore, em Chevron B19, repetiram o triunfo do dia anterior, batendo o Osella PA3 de John Spiers e o Lola T292, do Team Bip, tripulado pelo português Carlos Tavares, que replicaram o pódio de ontem.

O fim-de-semana competitivo terminava com o regresso dos turismos ao palco, o Group 1 Portugal. João Diogo Lopes foi o melhor, em Ford Escort RS 2000, seguido pelo Jaguar XJ8 V12 de André Castro Pinheiro e o Ford Escort RS 2000 de Paulo Vieira encetou o pódio.

Com a noite a querer descer sobre o Autódromo do Estoril, foi a vez dos clubes se exibirem mais uma vez ao longo da mais antiga pista permanente portuguesa, despedindo-se do público que escolheu ficar nas bancadas até ao último instante do Estoril Classics deste ano.

 

Scroll To Top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com