Terça-feira , Março 26 2019
ÚLTIMAS
Home / RALLYCROSS / Eurocircuito de Lousada recebeu a prova de encerramento da época do ralicross nacional
Eurocircuito de Lousada recebeu a prova de encerramento da época do ralicross nacional

Eurocircuito de Lousada recebeu a prova de encerramento da época do ralicross nacional

O Eurocircuito de Lousada recebeu a prova de encerramento da época, a Taça de Portugal de Ralicross e Kartcross. O Clube Automóvel de Lousada organizou a jornada que a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting decidiu, muito bem, prover e que fechou 2016 com chave de ouro.

Parabéns a Santinho Mendes na Super Iniciação, a Jorge Gonzaga no Kartcross, a Joaquim Machad, na Super 1600 e a Sérgio Dias na Super Nacional, que são os vencedores da primeira Taça de Portugal. Parabéns ainda a Ludgero Santos, o vencedor da prova dos Super Buggys, que integrou o programa.

Como é hábito o público disse sim ao convite do CAL e não arredou pé, mesmo quando a chuva caiu e certamente que não deu o tempo por mal empregue, pois o espectáculo foi uma constante.

Finais

Kartcross

Mário Rato (Semog Bravo 600) e Sérgio Bandeira (Semog Bravo) partiram na frente, mas a “liderança” só durou até à curva um. Tocaram-se, os kartcross “engataram” as rodas e lá baixaram para o fundo da classificação.

Quem mais lucrou com a manobra foi José Luís Pereira (AG Sport) que passou para a frente e aí controlou o início da corrida. No entanto não seria assim até ao final.

Jorge Gonzaga (ASK) pressionava e na travagem para o gancho que antecede a recta da meta, travava nos limites e passava para frente.

A oposição era encabeçada por António Silva (ASK Evo 16), que vinha de lá de trás e se mantinha em segundo, com muita pressão por parte de João Matias (H Sport), que cortaria a meta quatro décimas depois.

Sérgio Castro (ASK 600) foi o quarto a terminar e trazia um adversário de peso “colado” à traseira. É que Mário Rato, depois das peripécias na partida, recuperava até ao quinto posto e terminava a três décimas de Castro.

Luís Almeida (Semog Bravo 600) encerrava o “top” seis. Seguiam-no respectivamente José Mota (Semog Bravo), Rui Nunes (Semog), Pedro Palma (Semog) e Joaquin Amil (Kinkar), que veio desde Espanha disputar a Taça de Portugal, que foi vencida por Jorge Gonzaga.

lousada gonzaga Jorge Gonzaga (ASK)

Super 1600

Rui Sirgado (Citroen DS3 S1600) não ia além da curva um. Um tête de 360º deixava-o fora da prova, enquanto João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) “voava” para a primeira posição da corrida.

Tal com tem sido hábito a corrida era discutia entre Ribeiros, com João a levar a melhor sobre Hélder (Citroen C2 S1600).

Com a corrida a meio Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) subia para o pódium, trocando de posição com Joaquim Pacheco (Citroen C2 S1600).

Logo de seguida um golpe de teatro na cabeça da corrida: João Ribeiro fez um tête, o motor do Citroen “morreu” e o mais jovem do “clã Ribeiro” via a vitória escapar-lhe entre os dedos.

A corrida passava a ser liderada por Joaquim Machado, sempre muito pressionado por Hélder Ribeiro. A prova só seria decidida sobre a meta. Joaquim Machado cortava em primeiro e ganhava a Taça de Portugal.

lousda machado taca Joaquim Machado (Peugeot 206)

Super Nacional 2RM

João Oliveira (Peugeot 206) partiu muito bem e colocou-se na liderança logo na partida. Luís Moreira não partiu bem, o BMW parece ter ficado a “patinar” e perdeu várias posições de uma assentada. Quem mais lucrou foi Sérgio Dias (Citroen Saxo) que passou para segundo e Agostinho Sousa (Citroen Saxo), que era o terceiro, muito próximo.

Com cinco voltas corridas, Sérgio Dias passava para a cabeça da prova, por troca com João Oliveira. José Sousa (Peugeot 306) “trepava” de lá de trás era terceiro, depois de bater Agostinho Sousa, que assim baixava para a quarta posição.

Luís Morais (Peugeot 106) era quinto e Daniel Pacheco (Fiat Punto) cortava a meta em sexto, depois de uma partida atribulada, em que ficava por fora na curva um e perdia muito tempo na lama. Luís Moreira e Américo Sousa (Citroen Saxo) completavam a classificação.

Sérgio Dias era vencedor da Taça.

lousada s dias Sérgio Dias (Citroen Saxo)

Super Iniciação

Rafael Rocha (Peugeot 106) arrancou como uma seta e de imediato colocou-se na frente da corrida. Santinho Mendes (Peugeot 205) passou a rodar colado e a prova prometia luta até ao final.

Leandro Macedo (WV Polo) não foi feliz na partida e teve que tentar recuperar. Passou a pressionar Francisco Silva (Citroen Saxo), que era o terceiro.

Santinho ganhou uma posição, Rafael Rocha era surpreendido e logo de seguida perdia mais um posto, para Francisco Silva.

Pedro Domingos (Toyota Starlet) subia para o quarto lugar e Macedo ficava pela terceira volta, depois de uma saída ligeira que lhe danificava a direcção do Polo. Pedro Pereira (Renault Clio) e Andreia Sousa (Toyota Starlet) completavam a classificação, por esta ordem.

Santinho Mendes é o vencedor da Taça de Portugal na Super Iniciação.

lousada santinho Santinho Mendes (Peugeot 205)

Super Buggys

Os Super Buggys correram como prova de apoio e Ludgero Santos, em Toniauto TT, dominou.

Ludgero Santos, partiu da posição do meio, o que facilita o arranque. Luís santos (Toniauto TT) ficou a “patinar” na lama e passou para segundo.

Na Curva um Nelson Barata (Toniauto TT) e Arménio Rodrigues (Atmos Strong) tocaram-se, ficaram com as rodas engatadas e passaram para as duas últimas posições, respectivamente.

Ludgero estava de pedra e cal na frente.  Luís Santos era segundo, mas não se podia distrair, sob risco de ser ultrapassado por António Estêvão (MXG).

Nas posições  seguintes terminaram o estreante Rui Godinho (PGRacing), seguido de Nelson Barata (Toniauto TNTT) e Arménio Rodrigues (Atmos Strong).

lousada ludgero Ludgero Santos (Toniauto TT)

 Meias-finais

Super Nacional – meia-final A

Luís Morais (Peugeot 106) arrancou bem da pole-position e colocou-se na frente. La para trás o segundo posto era discutido com afinco e Luís Moreira (BMW 325i) levava a melhor, passando para segundo.

Com as idas à Joker Lap as contas baralharam-se, mas no regresso Luís Morais voltou para a frente da corrida.

Luís Moreira via o BMW ter problemas de motor e cedia o segundo posto. Era agora tempo de José Sousa (Peugeot 306) assumir a vice-liderança, à frente de Américo Sousa (Citroen Saxo).

Luís Morais (Peugeot 106) foi quarto, à frente de José Eduardo Queirós (Ford Escort) e de Patrícia Pereira (Renault Clio Williams), a melhor senhora em prova.

Super Nacional – meia-final B

Boa partida de João Oliviera (Peugeot 206), que se colocou na frente da corrida. Ganhou distância e deixou Sérgio Dias (Citroen Saxo) na segunda posição, com alguma pressão por parte de Agostinho Sousa (Citroen Saxo).

A chuva chegou em força nesta prova e o ritmo, teve que passar a “cauteloso”.

Daniel Pacheco (Fiat Punto GT), Daniel Sousa (Peugeot 106) e Nuno Araújo (Peugeot 106) completaram a classificação.

Após corridas de qualificação

Kartcross

Mário Rato (Semog Bravo) terminou na frente as três corridas de qualificação. Para este resultado foi fundamental a vitória na derradeira corrida à qual se junta o terceiro posto na segunda e dessa forma soma os oito pontos que lhe dão a pole-position para a final.

Sérgio Bandeira (Semog Bravo) é segundo, afirmou-se como oposição ao piloto do Alentejo, mas o sétimo posto da primeira corrida, disputada ontem, penalizou as contas finais. Está agora com 12 pontos, menos três do que José Mota, o terceiro classificado. O homem da Transwhite começou bem, com um segundo lugar, mas as corridas desta manhã não correram da mesma forma.

Jorge Gonzaga (ASK) foi regular, com dois quintos e um sexto posto, que o colocam em quarto, à frente de José Luís Pereira (AG Sport), que começou por ser terceiro, depois venceu e na derradeira corrida não foi além de 15º e afundou-se na classificação.

Luís Almeida   (Semog Bravo 600) encerrou o grupo dos seis da frente. Teve uma prova de altos, com uma vitória e um segundo posto, e de baixos, quando na segunda corrida fez um tête e ficou impossibilitado de ir além da 17ª posição.

Super Buggys

Ludgero Santos (Toniauto TT) manteve-se invicto nas corridas de qualificação e assim fechou as contas com três pontos. Luís Santos (Toniauto TT), com dois segundos postos termina as classificações em segundo.

Rui Godinho (PGRacing) fez dois terceiros e um quarto posto, que o colocam no mais baixo do pódium da qualificação, à frente de António Estêvão (MXG), que tem como melhor resultado o segundo posto da primeira corrida desta manhã.

Nelson Barata (Toniauto TT) e Arménio Rodrigues (Atmos Strong) completam o grupo dos seis da frente.

Super Iniciação

Santinho Mendes (Peugeot 205) venceu por duas vezes. Só não fez na segunda corrida, quando problemas de escolha de pneus (optaram por misturas para pista molhada) lhe deram o terceiro posto.

Leandro Macedo (WV Polo) Esta manhã foi por duas vezes segundo classificado e assim termina a qualificação.

Rafael Rocha (Peugeot 106) venceu a segunda corrida, mas o quinto posto da derradeira qualificação, colocou-o em terceiro, empatado em pontos com Macedo.

As qualificações foram discutidas ao segundo, e por isso os dois segundos postos de Pedro Pereira (Renault Clio) não lhe permitiram melhor do que o quarto posto, com três pontos de vantagem sobre Pedro Domingues (Toyota Starlet).

Francisco Silva (Citroen Saxo VTS) e andreia Sousa (Toyota Starlet) completam a classificação.

 

Super Nacional 2RM

Se houve categoria em que o equilíbrio foi uma constante, a Super Nacional foi-o, de facto. Luís Morais (Peugeot 106) terminou na frente, somou 10 pontos e valeu-lhe a vitória na segunda corrida.

João Oliveira (Peugeot 205) somou mais um ponto, tendo um segundo e um terceiro lugares como melhores resultados. Luís Moreira (BMW 325i) venceu a primeira corrida e fez o mesmo na terceira, mas como não foi além de décimo na segunda, acabou com o terceiro posto.

Nuno Araújo (Peugeot 106) andou nos lugares da frente, fez segundo como melhor resultado na corrida inicial e dessa forma fechou as contas da qualificação com um quarto posto, à frente José Eduardo Queirós (Ford Escort) e de Sérgio Dias (Citroen Saxo).

Com 16 pilotos em pista as qualificações tiveram que ser feitas em três series distintas.

Super 1600

João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) ganhou as duas primeiras corridas de qualificação e só não fez o mesmo na última, altura em que Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) levou a melhor e assim assegurou a segunda posição das qualificações.

Rui Siragado queixa-se de um problema electrónico no Citroen DS3, que estreia aqui, mas mesmo assim, fecha as contas com o terceiro posto, à frente de Joaquim Machado, que na corrida de ontem ficou em sétimo, na sequência de um toque e comprometeu uma qulificação melhor do que a quarta.

Joaquim Pacheco (Citrone C2 S1600) e Rogério Sousa  (Peugeot 207 S1600) encerram o grpo dos seis da frente.

 

Scroll To Top