Sábado , Fevereiro 16 2019
ÚLTIMAS
Home / RALI / FALTA DE SORTE ENSOMBRA FORTE PRESTAÇÃO DOS C3 WRC
FALTA DE SORTE ENSOMBRA FORTE PRESTAÇÃO DOS C3 WRC

FALTA DE SORTE ENSOMBRA FORTE PRESTAÇÃO DOS C3 WRC

Sendo umas das forças dominantes do dia de hoje (sexta-feira) do Rally de Portugal, tendo alcançado 3 vitórias em classificativas, as duplas da Citroën Total Abu Dhabi WRT – Kris Meeke/Paul Nagle e Craig Breen/Scott Martin – viram as suas hipóteses de obter um bom resultado de conjunto seriamente condicionadas por vários furos, enquanto Mads Østberg/Torstein Eriksen terminaram o dia num encorajador 6º lugar, naquela que é a sua prova de estreia em pisos de terra com o C3 WRC.

 

Esta deverá ter sido a etapa decisiva do rali devido à tendência que as classificativas tiveram para se deteriorarem, tornando-se, irreversivelmente, em autênticas armadilhas, ao longo de um dia que provou ser ainda mais devastador do que o previsto, com o abandono de vários pilotos da frente.

Os C3 WRC demonstraram, no entanto e de novo, a sua competitividade e robustez, alcançando 3 vitórias em classificativas (2 através de Kris Meeke e 1 por Craig Breen) nas 6 especiais cronometradas do dia, performance que reflectiu a sua versatilidade e a capacidade da equipa em adaptar os seus set-up às constantes mudanças nas condições das estradas.

Mas infelizmente, a sorte da Armada Vermelha viria a acabar, de novo, na reta final do dia. Na ES7, depois de Meeke ter passado, por duas vezes, pelo comando do rali, e Craig Breen o 3º classificado nesse ponto da prova, a 4,4s de distância, ambos foram, simultaneamente, atingidos por furos. Depois de já ter sofrido um furo na especial anterior, Meeke foi forçado a disputar as duas últimas classificativas do dia – a dupla passagem pela Super Especial do Porto – com apenas três rodas intactas, conseguindo, no entanto, terminar o dia na 7ª posição da geral (a 1m18,7s do líder), enquanto Breen, que perdeu 2m24,6s com o seu infortúnio, caía para 8º da geral (+ 2m27,3s).

Aumentando gradualmente o seu ritmo ao longo do dia, Mads Østberg, naquele que é o seu primeiro rali em terra ao volante do C3 WRC, chegou esta noite à Assistência no 6º lugar da geral. Foi o 2º mais rápido na SS5, a apenas 0,8s do piloto mais rápido, no final dos 27 km da especial, num bom presságio para o restante rali.

O Rally de Portugal continua amanhã (sábado), com as 3 equipas do Citroën Total Abu Dhabi WRT a terem pela frente o dia mais longo do evento (154,64 km cronometrados, divididos por 6 classificativas). No entanto, Craig Breen, Kris Meeke e Mads Østberg estão determinados em continuar a lutar para subir na classificação, embora sejam, por esta ordem, os primeiros a entrar para os troços.

 

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor de Equipa da Citroën Racing: “Somos a única equipa que conseguiu terminar o dia com todos os seus três carros em competição. Isso demonstra a nossa fiabilidade mas, infelizmente, a classificação não reflete o nosso nível de performance. Levando a bordo cinco pneus Michelin de mistura dura, penso que tomámos a decisão certa na escolha para os troços da tarde, mas depois tivemos estes furos que provaram ser tão penalizadores para o Kris e para o Craig. Gostaria de lhes agradecer depois de ambos conseguirem o milagre de trazer os seus C3 WRC até à Assistência e também reconhecer os progressos feitos pelo Mads.”

Kris Meeke: “Foi um dia difícil para nós. Tudo começou tão bem, senti-me logo tão bem no carro e liderávamos o rali. Mas à tarde sofri dois furos consecutivos – não faço ideia onde – e, de repente, as coisas tornaram-se muito mais complicadas. De modo a não infringir as regras de trânsito, que dizem que não se pode conduzir sobre jantes nas seções de estrada, tivemos que gerir, o melhor que pudemos, os dois pneus furados. Ao sermos os segundos a entrar para os troços amanhã, limpando novos troços demolidores do fim de semana, vou sofrer com certeza, mas podem contar comigo para me bater ao longo da prova e dar tudo o que puder.”

Craig Breen: “Obviamente que foi um dia frustrante para nós. Voltámos às dificuldades na parte da tarde. Sem o meu furo poderia, potencialmente, estar na liderança do rali esta noite. Vou ser o primeiro na estrada amanhã, mas farei tudo o que puder para limitar os danos.”

Mads Ostberg: “Depois dos altos e baixos na parte da manhã, onde cometi alguns erros nos set-ups, gostei muito da tarde. O carro esteve realmente perfeito após as alterações feitas pela equipa na Assistência. Parámos na estrada, onde o Paddon teve o acidente, para ver se podíamos ajudar, pelo que não disputámos o troço mais longo do dia, mas isso não foi o mais importante neste momento. As condições dos troços lembram-me o Rali da Acrópole, na Grécia. O dia de hoje foi muito difícil, mas chegamos ao final e vamos tentar fazer ainda melhor ao longo do resto do rali.”

 

Scroll To Top