Quinta-feira , Abril 18 2019
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / FRANCISCO ABREU ACABA LONGE DO PÓDIO
FRANCISCO ABREU ACABA LONGE DO PÓDIO

FRANCISCO ABREU ACABA LONGE DO PÓDIO

 

 

Infelizmente o primeiro dia de corridas do Racing Weekend de Braga, quarta jornada pontuável para o Campeonato Nacional de Velocidade Turismos (CNVT 2017), não correu da melhor forma para FRANCISCO ABREU.

 

O campeão nacional de velocidade de 2015, ao volante do VW Golf GTI TCR do Team Novadriver com as cores da King Tony, Imed, Brisa, Club Sport Maritimo, C.Santos VP, Arango, Diário de Notícias da Madeira, SIVA, Volkswagen Financial Services, Galp Formula, Panta Racing Fuel, Duoseg Competição, Glassdrive, Autódromo Virtual de Lisboa, Publicomp, Cision e Autódromo Internacional do Algarve, não foi além de um quarto lugar na primeira corrida e de uma quinta posição na segunda prova deste sábado

 

Após ter se qualificado no quarto lugar, muito por culpa de uma afinação do VW Golf GTI TCR menos conseguida, FRANCISCO ABREU tentou na corrida fazer algo de diferente, mas optando por poupar os melhores pneus para as corridas de amanhã, o desgaste das borrachas acumulou-se – a pista de Braga é muito abrasiva – e o piloto madeirense não foi além do quarto lugar final.

 

Saindo da quarta posição da grelha de partida para a segunda prova do dia, FRANCISCO ABREU tentou, imediatamente, o assalto ao primeiro lugar. A estratégia era a mesma da primeira corrida, ainda passou pelo segundo lugar, mas um toque de um adversário acabou por o atrasar e cair para a sexto posição. Uma ponta final de raça e determinação, permitiu-lhe recuperar um lugar, mas não foi além do quinto posto. Amanhã o VW Golf GTI TCR do Team Novadriver vai contar com pneus novos e uma afinação diferente, a validar no “warm up”, para tornar o VW Golf GTI TCR mais rápido e permitir ao piloto da Madeira aproveitar a segunda posição na grelha de partida para a terceira corrida.

 

FRANCISCO ABREU“Não correu bem este primeiro dia do fim de semana de Braga. Muitas dificuldades com a afinação do carro que me obrigava a usar mais direção do que o necessário o que teve implicações, imediatas, no desgaste dos pneus. Arriscámos uma estratégia com pneus mais desgastados, mas a dificuldade com a afinação, complicou muito as coisas. Consegui fazer um par de voltas razoáveis, mas a partir dai as coisas complicavam-se e foi impossível fazer melhor. Na segunda corrida, tentámos alterar algumas coisas, mas um toque de outro piloto estragou a corrida. Espero amanhã ter mais sorte e um Golf mais veloz com pneus novos e um afinação diferente.”

 

Scroll To Top