Quarta-feira , Maio 22 2019
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Haas F1 Team com bastantes dificuldades na qualificação
Haas F1 Team com bastantes dificuldades na qualificação

Haas F1 Team com bastantes dificuldades na qualificação

Os pilotos da Haas F1 Team, Kevin Magnussen e Romain Grosjean, qualificaram-se na 14ª e 20ª posição, respectivamente, para o Grande Prémio da Rússia de domingo, no Autódromo de Sochi. Magnussen, no entanto, vai largar da 13ª posição devido à penalização de cinco lugares a servir pelo piloto Toro Rosso Carlos Sainz Jr, que se qualificou na 11ª posição.  Grosjean irá partir da 19ª posição, pois o 17º qualificado, Stoffel Vandoorne da McLaren, também irá cumprir uma penalização.

Magnussen obteve o 15º tempo mais rápido na Q1 com uma volta em 1:36.408, apurando-se para a Q2, onde apenas os 15 melhores pilotos avançam para uma segunda volta da qualificação.

As dificuldades com o balanço do seu carro continuaram para Grosjean na qualificação e resultaram com o 20º lugar na Q1. O esforço de Grosjean foi comprometido pela presença de duplas bandeiras amarelas na sua última volta rápida, quando Jolyon Palmer fez um pião e  bateu com o seu Renault nos muros da curva quatro do circuito de 5.848 quilómetros (3.634 milhas) e 18 curvas.

Na Q2, Magnussen melhorou em 0.391 segundos o seu tempo da Q1 para se qualificar na 14ª posição. Apesar da sua volta em 1:36.017 ter sido a mais rápida do fim-de-semana, Magnussen não se apurou para a Q3, onde apenas os dez pilotos mais rápidos participam.

Tanto Magnussen, como Grosjean, andaram em exclusivo com pneus Pirelli P Zero Roxo ultramacios durante a qualificação.

O piloto da Scuderia Ferrari, Sebastian Vettel, fez a pole-position para o Grande Prémio da Rússia. A sua volta mais rápida foi em 1:33.194 e marcou um novo recorde da pista em qualificação, sendo 0.059 segundos melhor para segundo mais rápido e seu companheiro de equipa Kimi Räikkönen. Nico Rosberg tinha o anterior recorde da pista em 1:35.337, obtido o ano passado na Q2, que foi batido pelo tempo da pole-position de Vettel por 2.143 segundos. Esta foi a 47ª pole-position de Vettel na Fórmula 1 mas foi a primeira vez desde o Grande Prémio de Singapura de 2015. E com Räikkönen a qualificar-se no segundo lugar, este resultado marca a primeira vez que a Ferrari monopoliza a linha da frente desde o Grande Prémio de França de 2008, há 127 corridas.

Antes de Magnussen, Grosjean e o resto dos concorrentes da Formula 1 participaram na sessão de qualificação, tiveram que lidar com uma última sessão de treinos livres (FP3) para preparar os seus carros para uma volta rápida à pista. Ambos os pilotos estavam no mesmo programa, com três turnos cada para experimentarem a gama de pneus Pirelli, começando com os Amarelos macios, continuando com os Vermelhos supermacios e terminando com os Roxos ultramacios. Os seus carros foram equipados com os pacote de travões da Brembo, com a equipa a regressar ao fornecedor usado em 2016 e do começo da época, depois do teste com os travões Carbon Industrie no Bahrein, a 18-19 de Abril, e ontem, na FP1 e FP2 em Sochi.

Magnussen fez o 10º tempo mais rápido na FP3 com o tempo de 1:36.556 na sua 19ª e última volta. Grosjean realizou vinte voltas e conseguiu o seu melhor tempo na sua última volta, em 1:37.164, que o colocou na 16ª posição da geral.

O top da FP3 serviu como prelúdio para a qualificação, com Vettel e Räikkönen, primeiro e segundo, respectivamente. A melhor volta de Vettel em 1:34.001 foi  0.337 segundos melhor que a de Räikkönen.

 

Scroll To Top