Sábado , Maio 30 2020
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Joaquim Teixeira: “É impossível não sentir um arrepio ao ver os milhares de adeptos na Rampa da Falperra”
Joaquim Teixeira: “É impossível não sentir um arrepio ao ver os milhares de adeptos na Rampa da Falperra”

Joaquim Teixeira: “É impossível não sentir um arrepio ao ver os milhares de adeptos na Rampa da Falperra”

 

 

A segunda ronda do Campeonato Nacional de Montanha / Valvoline é a Rampa Internacional da Falperra, uma das provas mais carismáticas do panorama europeu. Joaquim Teixeira espera ter o espectacular Renault Megane Trophy em boas condições para lutar pelo top 10 do CNM.

 

Depois da estreia azarada ao volante do Megane Trophy na Rampa da Penha, Joaquim Teixeira desenvolveu todos os esforços para que o carro francês ultrapasse os problemas mecânicos que o condicionaram no arranque da temporada. “Na Penha, os problemas de embraiagem e caixa impediram-me de lutar por outro resultado mas o público gostou muito do Megane Trophy, até porque compreendeu que a fraca prestação se deveu a problemas mecânicos. Após a prova desmontámos a caixa e verificámos que o problema estava na embraiagem. Fizemos um trabalho minucioso de reparação e neste momento espero que o problema esteja resolvido, pois montámos material completamente novo que recebemos da Renault Sport em França”, revelou o piloto da Bompiso.

Em termos de expectativas desportivas, Joaquim Teixeira afirma que “quero sobretudo ter o carro em boas condições mecânicas, pois isso acontecer e se o tempo ajudar com piso seco poderei lutar pelos lugares da frente na minha Categoria e tentar entrar nos 10 primeiros da geral absoluta do CNM/Valvoline. Se a chuva aparecer será mais difícil, mas mesmo assim tudo farei para obter o melhor resultado possível”, referiu.

Com dezenas de milhares de espectadores a passarem pela Falperra ao longo do fim-de-semana, Joaquim Teixeira explica o que torna esta rampa tão especial até no panorama internacional. “Penso que é o carisma, o publico excelente, e o facto de ser uma prova mítica do panorama automóvel europeu. É sobretudo isto porque, embora o traçado seja muito bom, para mim não é nem o mais técnico nem o mais seguro do CNM, embora o seja a nível internacional. É toda a envolvência que faz a diferença. Correr perante milhares de espectadores é motivante e quando descemos e vemos aqueles milhares de pessoas a vibrarem e a aplaudirem-nos é impossível não sentir um arrepio enorme”, revela o piloto de Murça.

 

A edição de 2016 da Rampa Internacional da Falperra começa na próxima sexta-feira, dia 6, com as verificações técnicas e administrativas. No sábado e no domingo a acção em pista começa sempre às 09:00.

 

Scroll To Top