Segunda-feira , Dezembro 17 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Lobato e Salvador dominaram em Vila Real
Lobato e Salvador dominaram em Vila Real

Lobato e Salvador dominaram em Vila Real

Rafael Lobato (Norma M20FC) partiu da pole-position, mas logo de seguida era Francisco Abreu (Tattus PY012) que assumia a liderança.

Início de corrida emocionante, com Rafael Lobato a retomar a primeira posição, pouco tempo volvido. É o mais rápido em pista e consegue distanciar-se de Francisco Abreu. À sexta volta a vantagem é 7,4 segundos.

Miguel Cristóvão (Wolf GB08) é o terceiro classificado.

António Nogueira (Porsche 997 GT3R) é o primeiro GT, repetindo um desempenho semelhante ao de ontem.

Ivo Nogueira (Tattus PY012) segue para a box com um triângulo de suspensão partido, na sequência de um toque num rail, e por lá fica. Apenas cumpriu uma volta.

Entretanto Miguel Lobo  vai para a box. O motor do Radical SR3 “calou-se” sem razão aparente.

Abre a janela de troca de pilotos e Safety Car entra em pista, devido às operações de limpeza na zona de Vila Sol, na sequência de um toque do Porsche de Joaquim Teixeira.

Com o safety car em pista, apenas duas equipas poderam ir à box para fazer a devida troca de pilotos. Os restantes mantiveram-se no pelotão “compactado” atrás do carro de segurança.

A oito minutos do fim é mostrada a bandeira vermelha e a prova termina desta forma, para descontentamento dos pilotos, que viram a prova ficar amputada.

Rafael Lobato e Pedro Salvador (Norma M20FC) venceram à geral no no grupo SPCN.

Miguel Lobo e Paulo Sá Silva (Radical SR3) ganharam o Grupo C3.

António Nogueira (Porsche 997 GT3R) foi o melhor GT e venceu os GT3.

Nuno Batista e Pedro Marreiros (Porsche 991 GT3 Cup) foram os melhores GTC.

Fábio Mota (Renault Megane Trophy) ganhou entre os GTR.

Joaquim Teixeira (Porsche 997 GT4) venceu nos GTS.

 

Dizem os vencedores

Rafael Lobato

“Hoje coube a mim arrancar. Perdi algum tempo na partida e na primeira recta passei para segundo lugar. Ao longo da primeira volta tentei estudar ao máximo o piloto que ia à minha frente para tentar saber onde é que eu ganhava ou perdia tempo. Consegui descobrir alguns pontos e na segunda volta consegui beneficiar do cone de aspiração dele e fui ganhando velocidade ao logo da recta, ele também se apercebeu disso,  começou a defender metendo-se no meio da pista, mas eu meti o meu pedal a fundo, meti por fora, e consegui passar antes da travagem.”

Pedro Salvador

“A nível de campeonato este fim de semana foi uma operação perfeita. Duas “poles”, duas voltas mais rápidas, duas vitórias e um aumento enorme da vantagem no campeonato que nos permite ficar mais tranquilos, mas não vamos abrandar a dedicação e a determinação que temos posto.”

“Hoje é uma vitória que me deixa satisfeito mas ao mesmo tempo um pouco frustrado pela falta de respeito da direcção de prova para connosco. Se não havia condições de segurança, deveriam ter mostrado a bandeira vermelha. Suspendiam a prova, faziam o que tinham a fazer e retomavam a corrida. Desta forma, quando me apercebo que fomos espectadores até serem cumpridos os 75% da distancia percorrida, deixa-me extremamente desapontado com a atitude da direcção de prova. Independentemente dos motivos, dos horários do WTCC, ou de quem quer que seja, há uma questão fundamental que é o respeito pelas equipas e pela pessoas que se apresentam na prova mais importante da época.”

 

António Nogueira

“Este fim de semana correu bem, correu dentro das expectativas. Tentei fazer o melhor possível e isso seria ganhar os GT’s, o que aconteceu com muito esforço porque os meus concorrentes eram muito bons, com viaturas muito boas. Talvez a minha experiência de correr cá muitos anos seguidos fosse um ponto a meu favor, bem como a viatura muito rápida.  O que não contava era estar tão próximo dos melhores protótipos, eles deram-me essa oportunidade e fiz-lhes a vontade de estar próximos dos primeiros.”

 

Scroll To Top