Terça-feira , Junho 22 2021
ÚLTIMAS
Home / RALI / Matton “Acredito que poderemos ter um novo Construtor”
Matton “Acredito que poderemos ter um novo Construtor”

Matton “Acredito que poderemos ter um novo Construtor”

Yves Matton, o Director de Rally da FIA, confirmou a possibilidade de outro fabricante de automóveis competir no Campeonato do Mundo de Ralis durante a próxima geração “híbrida” nos carros da categoria máxima: a Rally1.
Um dos principais fatores que impulsionam a mudança do WRC para a utilização da tecnologia híbrida em 2022, é o tornar mais compreensível e mais apetecível para os atuais fabricantes de automóveis, onde as energias alternativas – ditas “verdes”, compreendem um nicho de mercado em franco crescimento, onde a venda desde tipo de tecnologias está a subir na ordem dos dois dígitos anuais.
Se a Toyota e Citroën foram os últimos fabricantes a ingressarem/regressarem ao WRC em 2017, por decisão administrativa do Grupo PSA, o fabricante francês acabaria por abandonar o seu projecto no Mundial no final 2019, fazendo com que “apenas” aquele construtor nipónico, a Ford através da M-Sport e a Hyundai se mantivessem no Campeonato, com a formação liderada por Andrea Adamo ainda não ter “luz verde” da Coreia do Sul para construir um Rally1…
Se entre 1999 e 2002 foram sete as marcas envolvidas diretamente no WRC, nos últimos 24 anos totalizou-se 12 diferentes fabricantes que construíram (pelo menos) um WRC Car desde a sua criação (1996): Citroën, Ford, Hyundai, Peugeot, Mini (Prodrive), Mitsubishi, Seat, Skoda, Subaru (Pridrive), Suzuki, Toyota e a Volkswagen.
Para lá de 2022 assistiremos ao regresso de algum construtor, ou já estará nos planos de alguma marca (ou Grupo) ingressar no Mundial de Ralis como “montra” tecnológica do(s) seu(s) produto(s)?
Yves Matton: “Acredito que até o final do próximo ciclo de homologação poderemos ter mais um construtor a competir no FIA WRC. Tínhamos até há pouco tempo algumas possibilidades, mas devo dizer que o COVID-19 não está nos ajudando a fazer “lobby” para tentar convencer alguns fabricantes a aderir. Mas acredito que podemos atrair alguns fabricantes – mas não será antes de 2022.”
CARLOS DA SILVA
Fotos meramente ilustrativas

&nbsp

Scroll To Top