Terça-feira , Julho 23 2019
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Miguel Barbosa de fio a pavio
Miguel Barbosa de fio a pavio

Miguel Barbosa de fio a pavio

 

Demonstrando que estava na Beira Baixa para regressar às vitórias, Miguel Barbosa dominou por completo a segunda prova do ano organizada pela Escuderia Castelo Branco. O piloto do Mitsubishi Racing Lancer foi o mais forte durante a manhã e à tarde controlou o andamento de Ricardo Porém. Nas restantes competições, a decisão teve lugar nos últimos quilómetros com vitórias de António Maio nas motos, Roberto Borrego nos quads e Jorge Monteiro nos UTV/Buggy.

A Baja TT Idanha-a-Nova marcou o regresso do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno à estrada, depois da habitual pausa de Verão. Miguel Barbosa chegou à Beira Baixa com a consciência que precisava de uma vitória para não ver a revalidação do título ficar demasiado longe. E o piloto do Mitsubishi Lancer deu o mote ontem ao ser o mais rápido nas duas passagens pelo prólogo. Hoje ao longo da manhã foi aumentando a vantagem sobre toda a concorrência, que após a primeira passagem pelo Sector Selectivo vinha já a mais de cinco minutos e era encabeçada por Ricardo Porém. Durante a tarde o hexa-campeão nacional foi gerindo o andamento e evitando os problemas para chegar ao final com a segunda vitória do ano e a primeira da carreira de Mário Castro como navegador no todo-o-terreno, conseguindo na parte final inverter a tendência e ganhar a segunda passagem também pelo SS. “Correu tudo na perfeitção. A estratégia passava por atacar de manhã e controlar a corrida da parte da tarde. Foi isso que fizemos. Estou muito feliz com esta vitória que quero dedicar ao meu filho Miguel. Por fim quero dar os parabéns à Escuderia de Castelo Branco por mais esta magnífica organização”, disse no final o vencedor da Baja TT Idanha-a-Nova.

A perseguição durante a manhã chegou a dado momento a ser encabeçada por Rómulo Branco, mas ao final da manhã era já Ricardo Porém que ocupava o segundo posto, logo seguido por Nuno Matos. Da parte da tarde o líder entrou em modo de gestão e Porém foi sendo o mais rápido em todos os CP, mas sem nunca colocar em causa a vitória de Barbosa. Este segundo posto acaba por ser um resultado também do agrado do piloto de Leiria, pois mantém a liderança do campeonato e com larga vantagem sobre o segundo classificado. Paulo Ferreira fechou o pódio na frente de André Amaral. Fantástico foi o resultado de Alexandre Franco que ganhou os T2 e terminou em quinto da geral. Logo depois ficaram os dois melhores dos T8, com César Sequeira a bater Rui Marques. Por fim referência para a prova da dupla Manuel Mello Breyner/Emídio Guerreiro respectivamente Presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting e Secretário de Estado do Desporto e Juventude, que chegaram a ocupar o segundo posto entre os T2 antes de se atrasarem com um problema mecânico. Ainda assim fecharam no quarto posto.

Do lado das duas rodas Mário Patrão dominou ao longo de todo o dia, mas nos últimos 40 quilómetros deu-se um volte face, com o piloto da Suzuki a ter problemas e a ceder mais de três minutos para António Maio, entregando assim a vitória ao homem da Yamaha. Maio entrou melhor na prova, liderava ao fim dos primeiros 25 quilómetros, mas daí em diante não mais esteve na frente, embora nunca tivesse a desvantagem crescer para lá 39 segundos, marca que se registava no momento dos problemas de Patrão. Mais uma vez Luís Teixeira foi o melhor dos outros, e fechou o pódio, tendo ganho ainda a classe TT3. Sebastian Buhler foi quarto e ganhou entre os pilotos dos TT1. Ruben Faria foi sexto e Hélder Rodrigues foi oitavo. Pelo meio deles ficou Fausto Mota que foi o melhor do Europeu. Entre os pilotos do Mundial Alex Zanotti levou a melhor. O primeiro fora do “top ten” foi Sebastião Brion que ganhou entre a Promoção. “Ontem ataquei no prólogo e hoje de manhã resolvi manter a mesma toada, só que acabei por me perder e ceder algum tempo para o Mário Patrão. De tarde voltei a entrar forte para reduzir a diferença e na parte final apanhei um susto com um portão fechado, certamente fruto do vento. Consegui apesar disso vencer e estou muito satisfeito, pois esse era o objectivo e com isso relancei o campeonato”, explicou em Idanha-a-Nova António Maio.

Nos Quads a história foi tirada a papel químico. Roberto Borrego entrou melhor, mas logo a partir do segundo CP Ricardo Carvalho passou para o comando e por lá se manteve até aos últimos 40 quilómetros, onde passou por problemas e acabou batido por Roberto Borrego. André Mendes seguiu sempre os dois primeiros, mas a alguma distância acabando a por fechar o pódio. Bruno Ferreira foi quarto e ganhou na Promoção. Já Abílio Monteiro foi o mais forte entre as Stock, ficando ainda com o sexto posto da geral. “De manhã tive problemas com o banco que se soltava, o que me fez perder tempo. Na assistência consegui resolver. De tarde forcei o andamento e já tinha recuperado mais de um minuto para o líder quando comecei a ter problemas com uma fuga de óleo. Quando pensei em segurar o segundo lugar, vi que o líder estava parado também ele com problemas. Acabei por ter alguma sorte, mas as corridas por vezes são assim”, reconheceu Roberto Borrego. Para não fugir à regra, também nos UTV/Buggys a decisão ficou guardada para os últimos quilómetros. Jorge Monteiro beneficiou do abandono de Roberto Gallart para chegar ao final da prova como vencedor. A dupla José Dinis/Jorge Ferreira ficou com o segundo posto, ao passo que João Lopes e Bruno Santos mantiveram a posição do prólogo e fecharam o pódio. “O primeiro sector não correu como queria, porque perdi tempo nalgumas zonas da pista e ainda tive furo. À tarde ataquei forte, porque acreditava que ainda podia ganhar. Depois de ter perdido a última corrida por dois segundos estou muito feliz com esta primeira vitória, numa prova com um traçado que me agradou bastante”, referiu o vencedor dos UTV/Buggy.

Classificação Final (Autos): 1º Miguel Barbosa/Mário Castro (Mitsubishi Racing Lancer), 4h50m57s; 2º Ricardo Porém/Manuel Porém (BMW Série 1 Proto), a 6m49s; 3º Paulo Ferreira/Jorge Monteiro (Nissan Navara Off Road), a 14m27s.

Motos: 1º António Maio (Yamaha YZ 450F), 3h33m26s; 2º Mário Patrão (Suzuki RMZ), a 2m47s; 3º Luís Teixeira (Yamaha YZ), a 3m38s.

Quads: 1º Roberto Borrego (Yamaha YFZ450R), 3h41m40s; 2º Ricardo Carvalho (Yamaha YFZ450), a 2m37s; 3º André Mendes (Suzuki Speedfreak), a 7m08s.

UTV/Buggy: 1º Jorge Monteiro (Polaris RZR 1000 XP), 3h59m32s; 2º José Dinis/Jorge Ferreira (Polaris RZR XP), a 10m59s; 3º João Lopes/Bruno Santos (Polaris RZR XP) a 14m07s.

 

 

Scroll To Top