Terça-feira , Fevereiro 19 2019
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / MRacing de volta ao terreno para a penúltima etapa do CNTT
MRacing de volta ao terreno para a penúltima etapa do CNTT

MRacing de volta ao terreno para a penúltima etapa do CNTT

Terminadas as férias de Verão, a Baja de Idanha-a-Nova assinala a rentrée do CNTT já nos próximos dias 9 e 10 de Setembro. A MRacing marca presença com duas equipas em prova: Alejandro Martins / José Marques e Paulo Rui Ferreira / Jorge Monteiro.

Manuel Russo Jr. saúda a corrida afirmando que “é bom estar de volta às andanças do Campeonato Nacional depois dos compromissos que tivemos na taça do mundo”.
Num percurso que introduz mais quilometragem face ao do ano passado, a MRacing está curiosa para ver onde se coloca em termos de andamento. Expectante que seja dentro do top 5, Manuel Russo Jr. afirma ainda que “a corrida de Idanha encaixa no grupo de corridas nacionais em que gostamos de estar presentes, bem como os nossos clientes, não só pela excelência do percurso, como pelo acolhimento da organização e do público”, sendo também “a melhor preparação em situação de corrida que podemos ter para o Rally de Marrocos”.
Alejandro Martins sente-se “muito motivado e com vontade de retomar após este período de paragem”. O piloto refere que o que mais gosta nesta corrida é o facto de  “Idanha ter um percurso misto que tem zonas rápidas e de muita condução”.

Quando se fala de expectativas para esta prova, que apresenta partes totalmente novas no trajeto. Alejandro Martins diz que “estamos conscientes de que existem pilotos muito rápidos, mas temos um bom carro e uma boa equipa que nos permite andar a lutar pelo pódio”.

Na opinião do piloto, Idanha será um bom teste para Marrocos, que terá lugar já no início de Outubro.

Paulo Rui Ferreira sublinha que “esta é uma corrida onde já fizemos várias vezes bons resultados e que muito gostamos de disputar”.

O piloto, que sofreu um acidente em 2015, acredita que as suas costas não lhe tirarão o prazer de participar num grande fim de semana de corridas, ainda que, fisicamente, não se sinta na melhor forma. “Sabemos que o facto de termos poucos km de corridas nos últimos tempos nos fez perder muito ritmo competitivo, no entanto, acreditamos que podemos fazer um bom trabalho”.

Paulo Rui destaca também o espírito que leva para Idanha: “atendendo a que as corridas para nós têm sempre uma componente lúdica maior do que a componente verdadeiramente desportiva, encaramos mais esta corrida com o ânimo e com a alegria de sempre”.

 

Scroll To Top