Segunda-feira , Junho 24 2019
ÚLTIMAS
Home / MOTOS / Nova visita ao Estoril com duelos em perspectiva
Nova visita ao Estoril com duelos em perspectiva

Nova visita ao Estoril com duelos em perspectiva

 

O Campeonato Nacional de Velocidade volta no Domingo ao Autódromo do Estoril para a sua segunda jornada, num evento reforçado pela presença dos concorrentes ao “International Classic Grand Prix” (ICGP).

 

FICHA DA PROVA

Evento………..

Data……………

Competição

Circuito………

Localização….

Horários……..

Organização..

Circuito MCE II

24 de Abril.

Campeonato Nacional de Velocidade, 2.ª jornada.

Autódromo do Estoril, com 4182 metros.

Alcabideche, a 6 Km do Estoril, 31 Km de Lisboa.

Treinos: sessões das 8h25 às 13h00;

Corridas: 14h00 – ICGP; 15h45 – Superstock 600; 15h25 – Troféu

 Século XX – Taça Luís Carreira; 16h00 – Clássicas; 16h45 – Júnior;

 17h20 – Superbike; 18h10 – ICGP.

Motor Clube do Estoril.

 

Como o nome indica, o ICGP é reservado a Motos Clássicas de competição, construídas até 1984, inclusive, repartidas em duas classes, 250 e 350cc. A sua temporada integra seis jornadas, sendo esta do Estoril a segunda da série iniciada em Paul Ricard no primeiro fim-de-semana de Abril.

O ICGP constitui boa oportunidade para apreciar motos de competição que marcaram a sua época nos circuitos mundiais, muito bem conservadas e ainda capazes de proporcionar farta animação em pista. Para esta classe a acção começa no Sábado, com sessões de treinos entre as 12h e 12h20 e das 17h20 às 17h40, enquanto as duas corridas acontecem no Domingo.

Quanto ao “Nacional” de Velocidade, a ronda de abertura em Abril – também no Estoril – foi bastante promissora, com diferenças mínimas para apurar os vencedores no final das cinco corridas – a maior vantagem aconteceu em Superbike e cifrou-se apenas em 2,2s. Como tal, é legítimo esperar novos e renhidos despiques no Domingo.

Em Superbike, Tiago Magalhães e André Pires parecem querer reeditar o duelo travado nas duas últimas temporadas, com prognóstico reservado. Outro aliciante confronto em perspectiva opõe Ivo Lopes e Pedro Nuno, que na corrida anterior cruzaram a meta do Autódromo separados por 143 milésimos de segundo. Muita curta, de 1,9s, foi também a diferença pela qual João Vieira bateu Paulo Leite em 125 GP/Pré Moto3.

Nas Clássicas e no Troféu Século XX/ Taça Luís Carreira este ano não existe classificação geral. Todavia, na anterior visita ao Autódromo distinguiram-se António Machado e André Caetano, que terminaram a corrida de Clássicas separados por 0,9s, enquanto 63 milésimos foi a diferença na Taça Luís Carreira que valeu o sucesso a António Maximiano, diante de Diamantino Santos.

Por conseguinte, são estes os pilotos que merecem especial referência à partida para o próximo Domingo, sendo que em algumas classes outros contendores têm argumentos para entrar na discussão das vitórias, animando ainda mais o ambiente na mancha de asfalto do Estoril.

 

ASSIM VAI O CAMPEONATO…

SUPERBIKE

SUPERSTOCK 600

85 PRO/ Moto 4

1.º

2.º

3.º

4.º

5.º

6.º

Tiago Magalhães

André Pires

Ricardo Lopes

Tiago Morgado

Pedro Monteiro

Rui Reigoto

Kawasaki

Yamaha

BMW

Kawasaki

Yamaha

Kawasaki

25

20

16

13

11

10

1.º

2.º

3.º

4.º

5.º

6.º

Ivo Lopes

Pedro Nuno

Romeu Leite

Alex Costa

Tiago Cleto

Nélson Rosa

Yamaha

Yamaha

Yamaha

Yamaha

Yamaha

Kawasaki

25

20

16

13

11

10

1.º

2.º

3.º

4.º

5.º

6.º

Bruna Lopes

Tomás Alonso

Vasco Esturrado

Marco Mateiro

Isaac Rosa

——————-

RMU

Conti

Metrakit

Conti

Yamaha

———

25

20

16

13

11

 

125 GP/ Pré Moto3: 1.º João Vieira (Minarelli) 25; 2.º Paulo Leite (Honda) 20.

 

Clássicas:

Classe C3: 1.º António Machado (Yamaha) 25 pontos; 2.º André Caetano (Honda) 20; 3.º Bernardo Vilar (Honda) 16.

Classe C2: 1.º José Barbosa (BMW) 14; 2.º Francisco Monteiro (Yamaha) 10; 3.º Osvaldo Garcia (Guzzi), 7.

Classe C1: 1.º Jerome Chevalley (Norton) 14.

 

Troféu Século XX/ Taça Luís Carreira:

Classe LC3: 1.º António Maximiano (Suzuki) 25; 2.º Diamantino Santos (Suzuki) 20; 3.º João Trancoso (Suzuki) 16; 4.º Eduardo Cabreira (Aprilia) 13; 5.º Nélson Saldanha (Suzuki) 11; 6.º Fernardo Mercier (Yamaha) 10.

Classe LC2: 1.º Alexandre Pires (Yamaha) 14; 2.º João Ribeiro (Honda) 10; 3.º António Mourato (Yamaha) 7.

Classe LC4: 1.º Pedro Flores (Kawasaki) 14; 2.º Rui Matias (Ducati), 10.

– See more at: http://www.fmotoportugal.pt/artigo.php?id=180466#sthash.NuJiWqJr.dpuf

 

Scroll To Top