Segunda-feira , Dezembro 17 2018
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Opel Mokka Proto no centro de todas as decisões em Portalegre
Opel Mokka Proto no centro de todas as decisões em Portalegre

Opel Mokka Proto no centro de todas as decisões em Portalegre

Equipa discute o título nacional na Baja Portalegre 500

Nuno Matos e Filipe Serra partem para a derradeira prova do campeonato nacional na luta pelo título de campeões. A dupla do Opel Mokka Proto lidera a competição e chega à “sua” prova, a Baja Portalegre 500, que se realiza entre os próximos dias 22 e 24 (de quinta a sábado), com ambições legítimas de conquistar o ceptro. Fruto de duas vitórias à geral e uma consistência muito grande ao longo de toda a temporada, a equipa entra na recta final numa posição que dificilmente equacionaria no início do ano. Mas o bom trabalho de todos fez com que os resultados surgissem e o sonho pode mesmo tornar-se realidade.

Depois da última prova do campeonato, Nuno Matos e toda a estrutura fizeram um trabalho aturado para preparar da melhor forma a presença na mítica Baja Portalegre 500. Esta é a prova que fez do portalegrense piloto de todo-o-terreno. É por isso que tem tanto significado e, depois dos títulos nacionais em T8 e em T2 e da vitória na Taça FIA de Bajas em T2, poder sagrar-se campeão absoluto torna tudo ainda mais especial.

“Vou para a minha 19ª participação consecutiva na Baja Portalegre 500. Cresci com a prova organizada por José Megre. É a principal responsável por me ter tornado piloto de todo-o-terreno. Todos os anos, os meses que antecedem a realização da baja são especiais. Há os preparativos, as conversas na cidade acabam por redundar neste assunto. Vive-se um ambiente em torno da corrida que mexe com as pessoas e nós estamos particularmente envolvidos”, afirmou o piloto alentejano.

Líder do campeonato, Nuno Matos acredita na possibilidade de vencer o título. Mas por força da concorrência presente e dos regulamentos que obrigam a descontar o pior resultado, o piloto do Opel Mokka Proto sabe que a tarefa não se afigura nada fácil. “Se nos oferecessem a posição em que estamos no início da temporada aceitávamos logo. Partimos para esta época sem pensar que chegaríamos à Baja Portalegre 500 na discussão do campeonato. E aconteça o que acontecer, temos a certeza que alcançaremos o nosso melhor resultado de sempre. Partimos para a competição com a ambição de lutar pela vitória mas queremos, acima de tudo, aproveitar ao máximo a participação na nossa prova preferida”, explicou.

Toda a equipa está muito motivada e com vontade que a competição comece. “Todas as temporadas esperamos por este momento da época e este ano isso é ainda mais evidente. Sabemos que temos um apoio tremendo dos milhares de adeptos que tornam a Baja Portalegre 500 na verdadeira festa do TT que é desde 1987. Contamos com essa força extra mas desejamos que todos respeitem as regras de segurança porque, qualquer que seja o resultado desportivo, esta é uma celebração desde o início ao fim. E é isso que queremos continuar a fazer, a festejar e a competir numa modalidade de que gostamos tanto”, sublinhou Nuno Matos.

A Baja Portalegre 500 arranca para a sua 29ª edição já na quinta-feira. Nesse dia, as equipas cumprem as verificações documentais e técnicas, fazem o reconhecimento do percurso da super-especial e está agendada uma conferência de imprensa. Cumprido o protocolo, é na sexta-feira que se ligam os motores para o início da competição. A partida do primeiro concorrente para o prólogo está marcada para as 9h30. À tarde realiza-se o segundo sector selectivo com arranque previsto para as 14h15. No sábado estão reservados mais dois sectores selectivos. O primeiro, com 150 quilómetros, começa às oito horas e o derradeiro, com uma extensão de 200 km, começa às 12h30. O vencedor da 29ª Baja Portalegre 500 deverá ser conhecido às depois das 15 horas.

 

Scroll To Top