Sábado , Novembro 27 2021
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Penalização condiciona excelente prestação de Miguel Cristóvão
Penalização condiciona excelente prestação de Miguel Cristóvão

Penalização condiciona excelente prestação de Miguel Cristóvão

Miguel Cristóvão assinou uma performance notável no Autódromo Internacional do Algarve, onde este fim-de-semana se disputou a ronda final da Le Mans Cup, mas as contrariedades impediram-no de conquistar um bom resultado.

Com uma excelente performance na qualificação de ontem, o piloto de Lisboa tinha lugar marcado na terceira posição da grelha de partida, depois de uma penalização do autor da pole-position, mas o dia começou logo de uma forma dramática.
 
Um problema de caixa de velocidades obrigou a Team Virage efectuar uma reparação de última hora, ficando o Ligier JS P320 pronto a dez minutos do início da corrida, o que permitiu que Miguel Cristóvão ocupasse o seu lugar na grelha de partida.
 
Num pelotão com quase trinta LMP3 e tão aguerrido, os primeiros momentos de prova foram intensos e no Gancho da Torre, quando realizava a trajectória normal, um dos seus adversários, de adoptara uma linha mais alargada, subitamente apontou o carro para o interior, embatendo no protótipo do Miguel Cristóvão, que nada pôde fazer para evitar o contacto.
 
Apesar de em nada ter contribuído para o impacto, o português acabaria por ser penalizado com um “stop & go” injustificado de trinta segundos, quando rodava confortavelmente em terceiro e preparava-se para pressionar o segundo classificado.
 
A partir de então o resultado estava completamente comprometido, muito embora tenha sido o concorrente mais rápido nos primeiros quarenta minutos, tendo Miguel Cristóvão caído para o vigésimo quarto a 1m12s do líder. O português e o seu colega de equipa, Sacha Lehmann, realizaram uma recuperação fulgurante, mas era-lhes impossível ir além do décimo segundo posto, apesar de terem sofrido um novo toque que lançou o Ligier número dezasseis para um pião.
 
Após a prova de duas horas, o piloto de Lisboa estava verdadeiramente desapontado. “Estou seguro de que hoje poderíamos ter conquistado um lugar no pódio, dado que o nosso andamento estava ao nível dos melhores. Não percebo a penalização. O piloto em questão adoptou uma trajectória muito larga e quando eu já estava no apex da curva, virou como se eu não estivesse lá. O toque foi inevitável e acabou por estragar completamente a nossa corrida. Mas parecia que hoje não era o nosso dia, dado que ainda antes da prova tivemos um problema técnico que colocou em risco a nossa participação”, afirmou Miguel Cristóvão.
 
No entanto, o português retira aspectos positivos da sua participação na derradeira ronda da Le Mans Cup, o campeonato de LMP3 mais competitivo do planeta. “O resultado não foi o esperado nem o que estava ao nosso alcance e quando sentimos um pódio a fugir-nos sem termos contribuído para isso, a frustração invade-nos. Porém, demonstrámos que somos competitivos e que, em circunstâncias normais, estaríamos na luta pelos três primeiros lugares. Foi uma boa forma de avaliarmos uma participação futura. Mas agora o foco está na derradeira prova da Ultimate Cup Series que poderá garantir-nos mais um título e, para mais, disputa-se em Portugal”, enfatizou Miguel Cristóvão.
 
O português volta à competição nos próximos dias 12, 13 e 14 de Novembro, para a final da Ultimate Cup Series, que tem como pano de fundo o Autódromo do Estoril.

&nbsp

Scroll To Top
Posting....