Sexta-feira , Abril 23 2021
ÚLTIMAS
Home / MONTANHA / Pequena “revolução” regulamentar quer trazer ainda mais ambição à Montanha!

Pequena “revolução” regulamentar quer trazer ainda mais ambição à Montanha!

A pouco mais de um mês do arranque, que acontecerá em Murça, foi oficializado o Regulamento Desportivo do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group. São muitas as alterações no seio da competição maior da modalidade, que se prepara ainda para receber, de braços abertos, os Fórmulas e os Kartcross integrados em taças específicas, neste ano de arranque.
Depois de ter sofrido as agruras do surto pandémico, que reduziu a época 2020 a três provas (Murça, Serra da Estrela e Arrábida), o Campeonato de Portugal de Montanha JC Group prepara-se para regressar à normalidade, assim o combate a esta pandemia o permita na época que está prestes a começar.
A modalidade tem granjeado nos últimos anos os favores do público e, até à época de 2020, vinha numa trajetória crescente de impacto mediático, almejando ainda cimentar a qualidade e a quantidade de inscritos, prova após prova, premiando o trabalho executado pelo consórcio promotor, formado pela APPAM – Associação dos Pilotos Portugueses de Montanha e pelos clubes organizadores. O ano atípico de 2020 mostrou, mesmo assim, que a modalidade está sólida pois cada uma das provas realizadas saldou-se por um enorme êxito organizativo.
A entidade, em consonância com a FPAK, tem estudado continuamente a estrutura e os regulamentos, ouvindo pilotos e restantes protagonistas, num trabalho de contínua melhoria, para tornar o CPM JC Group cada vez mais atrativo para pilotos, equipas, autarquias, patrocinadores, comunicação social e público em geral.
Em 2020, a grande novidade foi a introdução da Categoria Legends, com a outorga de um título nacional específico, alcançado, neste primeiro ano, por Alberto Pereira, aos comandos de um Honda Integra Type R.
O edil mesãofriense fez assim companhia aos outros galardoados: José Correia (Osella PA2000 Evo2) alcançou o título mais saboroso, o Absoluto, juntando-lhe o cetro referente à categoria Protótipos. Já Vítor Pascoal levou o Porsche 991 GT3 Cup à vitória nos GT, cabendo a Luís Nunes (Ford Fiesta ST R5+) renovar o título entre os Turismos. Flávio Saínhas reclamou a supremacia entre os Clássicos.
2021 com muitas novidades
A regulamentação agora apresentada ostenta o maior número de alterações que a modalidade observou nos últimos anos. Mas comecemos pelo que não é mudado.
Quanto aos títulos em discussão, continuarão a ser 6: Absoluto, Protótipos, GT, Turismos, Legends e Clássicos, sendo ainda atribuídos troféus aos vencedores das Divisões, Grupos e Classes. O campeonato também continuará a contar com a disputa das Taças de Portugal reservadas a veículos modernos ou clássicos, com cilindrada até 1300cc.
É entre os Turismos que se dá uma pequena “revolução regulamentar. Recetora de uma grande parte do pelotão oficial da Montanha, a Categoria apresenta agora 3 novas divisões, todas diferentes das 4 anteriores.
A nova Divisão Turismos 1 será reservada a todas as viaturas com quatro rodas motrizes. Já a Divisão 2 incluirá os veículos com apenas duas rodas motrizes e cuja cilindrada seja superior a 2000cc, com a Divisão Turismos 3 a incluir os carros cuja motorização seja até 2000cc e que possuam também apenas duas rodas motrizes.
Fórmulas e Kartcross são mais duas grandes novidades na época
A inclusão de monolugares nas lides competitivas do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group era falada já há alguns anos, sendo, notoriamente, vontade do Promotor vir a enquadrar viaturas que, a exemplo do que acontece no Europeu com os Fórmulas e em vários campeonatos nacionais e regionais com os Kartcross, demonstram ser espetaculares e merecedoras dos favores e do aplauso do publico.
Foi assim criada uma Taça de Portugal de KartCross de Montanha e uma Taça de Portugal de Monolugares de Montanha, onde estes monolugares estarão inseridos, com pontuações autónomas e não podendo pontuar para o campeonato absoluto.
Os Kartcross serão aceites e distribuídos por duas classes (até 600cc e 1.000cc), com os Fórmulas a serem distribuídos por três classes distintas (até 1.600cc, 2.000cc e 3.000cc).
Os Kartcross irão competir em todas as 8 rampas do calendário ao passo que os Fórmulas, por questão relacionadas com as condições de segurança, só estarão em 5, ficando excluídas as rampas de Murça, Penha e Caramulo.
O anúncio da inclusão dos monolugares provocou já muitas reações de interesse, inclusivamente por parte de pilotos estrangeiros, sendo de esperar uma forte adesão às duas novas competições.
8 provas decidirão os campeões e o ano terminará com a grande festa do FIA Hill Climb Masters
É novamente pelas mãos do CAMI que o Campeonato de Portugal de Montanha JC Group arrancará. Será nos dias 10 e 11 de Abril, tendo como palco a Rampa Porca de Murça. 15 dias depois, a familía da Montanha ruma a sul, para a mítica Serra da Arrábida, com a 2ª prova a decorrer sob a batuta do Clube de Motorismo de Setúbal.
8 e 9 de Maio trará a novidade do Europeu de Montanha se disputar, pela primeira vez, no desafiante traçado de Boticas. Caberá ao Demoporto a organização da prova que reúne a fina flor do velho continente aos protagonistas do CPM JC Group. No último fim-de-semana do mês, a 29 e 30, tocámos o teto de Portugal Continental.
A Rampa Covilhã Serra da Estrela será o quarto desafio da temporada, segundo onde o CAMI assume as honras organizativas.
12 e 13 de junho marcarão o regresso a norte, para na cidade berço se disputar a Rampa da penha Paisagem Protegida, voltando o Demoporto a tomar as rédeas do evento que marcará a abertura da segunda metade da temporada.
O desafiante serpentar do traçado erguido nos socalcos do Douro receberá a 6ª edição da Rampa de Santa Marta. O Clube Automóvel da Régua ergue em Penaguião o encontro do campeonato com o Douro Património da Humanidade, nos dias 3 e 4 de Julho, para três semanas após ser vez do Targa Clube nos levar até ao Dão, onde o pelotão enfrentará a Rampa do Caramulo, em Tondela.
Trás-os-Montes abrirá e Trás-os-Montes terá honras de fecho do CPM JC Group 2021. Boticas será o local, com este traçado de grande dificuldade a ter assim honras de dupla aparição na época elevando para três o número de provas organizadas sob a égide do Demoporto.
As provas continuarão a contar com oito subidas, divididas equitativamente pelo sábado e pelo domingo das quais duas de aquecimento (warm-up), três de treinos oficiais e outras tantas de prova, contando para a classificação final o somatório dos dois melhores tempos efetuados entre os 3 possíveis nas referidas subidas de prova.
Quanto ao programa e horários, as verificações técnicas decorrerão sempre na noite de sexta e na manhã de sábado, recomendando o promotor que a primeira subida do programa de cada prova (Warm-up 1), arranque às 13 horas de sábado, uma hora antes do que era normal até à época passada.
Concluído o campeonato, a época terá ainda um momento de grande emoção.
A mítica Falperra receberá o FIA Hill Climb Masters, competição maior da modalidade a nível mundial. Esta verdadeira Taça das Nações decorrerá nos dias 9 e 10 de outubro, sendo de esperar que à prova do Clube Automóvel do Minho acorram mais de centena e meia de participantes, em representação de mais de duas dezenas de nacionalidades, transformando ao evento num dos momentos altos de 2021 do desporto motorizado português.
Fonte: Promotor do Campeonato

&nbsp

Scroll To Top