Domingo , Dezembro 16 2018
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Picantos voaram no ‘Aeródromo’ de Braga
Picantos voaram no ‘Aeródromo’ de Braga

Picantos voaram no ‘Aeródromo’ de Braga

 

 

  • Circuito Vasco Sameiro colocou à prova pilotos do Troféu monomarca que veio apimentar o automobilismo nacional;
  • Concorrentes da categoria Júnior travaram duelos incríveis contra os adversários mais experientes da categoria Pro;
  • Lista de inscritos composta por 24 pilotos e 16 carros entusiasma organizadores e valida aposta feita pelos parceiros do projeto.

 

 

Braga, 17 Setembro 2018 – Foi um exemplo claro da emoção que caracteriza o automobilismo. Mas também das vantagens de um Troféu monomarca, assente numa fórmula de custos controlada e num exercício de paridade técnica que coloca em evidência o talento dos pilotos.

 

A qualificação realizada no sábado para a primeira corrida de domingo já tinha aberto o apetite do que poderia estar à espreita. E a verdade é que o programa que decorreu no domingo não desiludiu!

 

A correr em ‘casa’, o bracarense Hugo Araújo voltava a repetir a ‘pole’ obtida no dia anterior, novamente com forte oposição de Mariano Pires e Hugo Marcos, desta feita acompanhados pelos estreantes Orlando Batina e Marco Saraiva — dois nomes que trouxeram ‘picante’ a esta quarta jornada da competição.

 

No final, os treinos cronometrados para a segunda corrida voltaram a demonstrar a proximidade entre os concorrentes mais experientes da categoria Pro e os pilotos mais irreverentes da categoria Júnior. E embora a temperatura da pista estivesse mais fria, o ambiente manteve-se bem ‘quente’ – toada que viria a marcar o fim-de-semana desportivo.

 

IRREVERÊNCIA MARCOU CORRIDA 1

Saindo do 1º lugar da grelha, Hugo Araújo chegou à Curva 1 determinado em manter a posição. Procurou distanciar-se dos seus mais diretos adversários, mas ao fim de cinco voltas começou a sentir a pressão permanente do Júnior Mariano Pires. “O Mariano Pires estava muito rápido e tive dúvidas sobre se conseguiria manter-me na frente da corrida. Tentei ocupar o máximo de espaço possível na pista para evitar a ultrapassagem e, na parte final da corrida, num momento em que ele estava colado à minha traseira, aproveitei a confusão originada por uma situação de bandeiras amarelas para ganhar mais alguns décimos de segundo que acabaram por ser determinantes para o triunfo. Quero dar os parabéns ao Mariano, que estava mais rápido do que eu e tornou as coisas muito difíceis à geral”, referiu o piloto apoiado pelo concessionário Cardan.

 

Melhor classificado da categoria Júnior e 2º da geral, Mariano Pires deu novamente provas da sua rapidez e maturidade ao volante, apesar dos 17 anos de idade: “Arranquei de 4º e subi uma posição logo no arranque, mas depois perdi algum tempo com o Rui Silva e o Hugo Marcos. Quando finalmente passei para segundo, aproveitando a confusão entre ambos, tentei ir buscar o Hugo Araújo, mas face à distância que nos separava achei que já não seria possível. Mantive a calma e vi que a cada passagem da reta da meta ia recuperando alguns décimos de segundo, o que me deu mais confiança, e acabámos as últimas três voltas da corrida colados, dando origem a uma luta muito interessante. No fim, optei por não arriscar a ultrapassagem para não colocar em causa o meu objetivo, que era vencer a Categoria Júnior”, sublinhou o piloto de Ponte de Lima.

 

Um estreante no Troféu e no Circuito de Braga, Marco Saraiva acabou por ser um dos destaques do fim-de-semana. Saindo do 13º lugar, o seu número da sorte, o piloto realizou uma recuperação notável que lhe permitiu festejar a 2ª posição da categoria Pro e o 3º posto da geral. “Depois de colher confiança com o carro na qualificação, parti com sensações positivas para esta corrida e com a noção de que não ganha a prova na primeira curva, mas que é importante estar lá. Tentei manter-me próximo do grupo da frente e aproveitar as oportunidades. Diverti-me imenso e quero dar os parabéns à organização, desejando as maiores felicidades para este projeto da Kia Portugal. Espero voltar!”, prometeu.

 

Também em grande plano, depois de cair para o último lugar após a investida falhada de Rui Silva, Hugo Marcos recuperou até ao 4º posto da geral e 3º da categoria Pro. Pontos importantes retirados a ‘ferros’ numa luta a três, travada com Lourenço Raposo de Magalhães e Rui Silva.

 

O primeiro fez parte de um grupo de quatro concorrentes (Guilherme dal Maso, Lourenço Raposo de Magalhães, João Santos e Francisco Esperto Jr.) que acabaram por ser forçados a partir do pitlane, depois de falharem a hora de saída para a pré-grelha. Já Rui Silva (2º da categoria Júnior) foi penalizado com um ‘drive-through’ devido ao comportamento intempestivo logo no início da corrida.

 

Atrás deste grupo, no 7º lugar da geral, Nuno Caetano tentou manter-se à margem da confusão, realizando uma prova sólida, mas não sem um susto provocado pelo jovem Orlando Batina. Terminou à frente do convidado da Kia Portugal, o jornalista José Ribeiro, que elogiou “o divertimento e sensações ao volante” produzidas pelo Picanto, e de Francisco Esperto Jr., que classificou o fim-de-semana como uma “grande aprendizagem”, até pelo infortúnio descrito acima.

 

Também em evolução constante, o 3º classificado da categoria Júnior, Guilherme dal Maso, revelou estar “muito satisfeito” com o seu desempenho, até porque continua focado em sentir-me o mais à vontade possível com o carro. Atrás dele terminou o estreante João Aguiar-Branco. Vítima da inexperiência, o ‘rookie’ não evitou a colisão em Francisco Marrão, hipotecando qualquer hipótese do piloto do carro nº 13 obter um bom resultado.

 

A fechar o pelotão terminaram Orlando Batina, que não evitou uma saída de estrada que lhe rompeu o tubo do intercooler, e Leonor Espinhal, que viu a sua prestação comprometida após a tentativa de ultrapassagem, falhada, por parte de João Santos. O piloto da Corvauto foi mesmo desclassificado desta corrida por conduta anti-desportiva e referiu, depois, que nunca conseguiu encontrar uma afinação que o deixasse “confortável” no traçado bracarense.

 

Uma nota final para o piloto da SGS Car, Nuno Madeira, que revelou um grande andamento ao longo de todo o fim-de-semana, mas viria a ser desclassificado da prova à conta de um incidente de corrida. A situação repetiu-se na segunda corrida do Kia Picanto GT Cup, mas isso não lhe retirou o sorriso do rosto. “Para quem vem do todo-o-terreno e não conhecia a pista, só posso estar satisfeito com o meu desempenho!”, enalteceu.

 

 

JÚNIORES PRESSIONAM GUERREIROS DA PRO NA CORRIDA 2

Partindo novamente do 1º lugar da grelha, Hugo Araújo coroou um fim-de-semana de sonho no Vasco Sameiro. Duas poles, duas vitórias e alegria a dobrar perante o seu público, família, amigos e patrocinadores. A pressioná-lo esteve Mariano Pires, que não o largou durante esta quarta jornada do campeonato. Satisfação dupla para ambos, que mostraram grande fair-play em pista e dominaram as categorias em que se encontravam inscritos.

 

Melhorando uma posição na classificação da prova, Hugo Marcos (2º Pro) voltou a expressar a sua rapidez ao volante. Apesar do carro não estar perfeito devido às incidências da primeira corrida, sai “satisfeito” desta visita a Braga, não só com os pontos amealhados, mas também com a sensação de que fez “o possível”.

 

Logo atrás terminou Henrique van Uden (3º Pro), “contente” com a sua prestação e com os cronos registados, sendo um dos mais rápidos no Vasco Sameiro.

 

Não muito distantes ficaram Miguel Abrantes, Orlando Batina (2º Júnior) e Duarte Botelho, que deram corpo a uma das lutas mais interessantes desta segunda corrida. A realizar a sua estreia no Kia Picanto GT Cup, o ‘rookie’ Batina mostrou-se encantado com o Troféu e revelou que irá participar nas restantes provas do campeonato para preparar a próxima temporada.

 

A participar na segunda prova do ano, Duarte Botelho aproveitou para sentir-se mais à vontade com o carro e garantiu ter-se divertido “imenso” numa corrida “bem animada”.

 

Seguiram-se João Aguiar-Branco, (3º Júnior), outra das surpresas do fim-de-semana. Um novato nestas andanças, elogiou o cariz “formador” do Troféu e a forma como foi ganhando “confiança” ao volante. A comprová-lo está o facto de ter concluído esta segunda corrida no 8º posto da geral.

 

A fechar o top 10, João Santos e Francisco Esperto travaram uma luta interessante, sobretudo na parte inicial da corrida, com José Supico. Seguiram-se Afonso Vaz (12º) e o diretor-geral da Kia, João Seabra, que acabou por discutir a posição com Manuel Moura Teixeira.

 

Na cauda da classificação ficou a piloto Univex, Leonor Espinhal, que admitiu sensações “menos positivas” após o susto que apanhou na corrida 1. “A confiança não era a mesma e tentei apenas acumular quilómetros com o carro”, afirmou.

 

Participando pela primeira vez esta época enquanto piloto do Kia Picanto GT Cup, João Seabra não escondeu o seu contentamento com esta experiência:

 

“Agora já posso dizer que sei o que sentem os pilotos do Kia Picanto GT Cup e o porquê de sorrirem tanto sempre que estão ao volante do carro! Sei que sou suspeito, mas é sem dúvida um pequeno grande carro de corridas que oferece um grande prazer de condução. Quero dar novamente os parabéns a todos os pilotos e agradecer-lhes o facto de se terem juntado a este projeto, contribuindo para corridas emocionantes como há muito não se via!”

 

O diretor-geral da Kia Portugal quis ainda deixar uma palavra de apreço aos novos Júniores do Troféu:

 

“Termos tido seis concorrentes da categoria Júnior a discutirem posições com os pilotos da Pro nesta prova é algo que nos deixa muitíssimo orgulhosos e quero, desde já, agradecer a confiança depositada pelo Orlando Batina e o João Aguiar-Branco — os mais recentes rostos do Kia Picanto GT Cup, a quem deixo votos de muito sucesso!”.

 

Já Tiago Raposo Magalhães enalteceu o crescimento contínuo do Troféu, comprovado pela lista de pilotos e carros inscritos, e a proximidade de andamento entre todos:

 

“Após um fim-de-semana pleno em emoções fortes, saímos desta segunda visita a Braga satisfeitos com diversos fatores. Por um lado, a presença de 16 carros e 24 pilotos — um sinal do inequívoco interesse do Troféu e da aposta realizada. Depois, com o equilíbrio existente entre todos os participantes, comprovando, assim, a igualdade técnica que tínhamos definido desde o início”.

 

Em jeito de conclusão, o responsável da CRM Motorsport salienta ainda a nova vaga de talentos que o Kia Picanto GT Cup tem conseguido atrair para o automobilismo em Portugal:

 

“Temos assistido a corridas de cortar a respiração em que são formados vários grupos de pilotos, com núcleos de cinco a seis concorrentes capazes de discutir posições no mesmo segundo. Mas também à bravura dos jovens, que se reveem nesta competição, e que, embora ainda tenham aspetos a limar, têm sido capazes de deixar em evidência o seu talento ao volante”.

 

Após esta quarta jornada da competição, as emoções do Kia Picanto GT Cup regressam no fim-de-semana de 27 e 28 de Outubro, no Autódromo Internacional do Algarve — palco do Portimão Racing Weekend, num programa partilhado com o European Le Mans Series.   

 

 

Classificação Corrida 1

1 – #99 Hugo Araújo, 13 voltas em 21m28.491s (1º Pro)

2 – #33 Mariano Pires, +0,858s (1º Júnior)

3 – #8 Marco Saraiva, +13.892s (2º Pro)

4 – #18 Hugo Marcos, +20.121s (3º Pro)

5 – #27 Lourenço R. Magalhães, +21.071s (4º Pro)

6 – #77 Rui Silva, +21.364s (2º Júnior)

7 – #55 Nuno Caetano, +32.833s (5º Pro)

8 – #7 José Ribeiro, +37.504s (GUEST)

9 – #15 Francisco Esperto Jr., +38.465s (6º Pro)

10 – #31 Guilherme Dal Maso, +41.018s (3º Júnior)

11 – #12 João Aguiar-Branco, +1:27.390s (4º Júnior)

12 – #13 Francisco Marrão, +1 Volta (7º Pro)

13 – #16 Orlando Batina, +2 Voltas (5º Júnior)

14 – #95 Leonor Espinhal, +3 Voltas (6º Júnior)

 

Volta mais rápida: Mariano Pires, 1m37.717s

 

Penalizado:

#12 João Aguiar-Branco (+30s)

 

Desqualificado:

#577 Nuno Madeira

#15 João Santos

 

 

Classificação Corrida 2

1 – #99 Hugo Araújo, 20m02.606s (1º Pro)

2 – #33 Mariano Pires, +0.951s (1º Júnior)

3 – #18 Hugo Marcos, +4.036s (2º Pro)

4 – #77 Henrique van Uden, +7.205s (3º Pro)

5 – #8 Miguel Abrantes, +14.276s (4º Pro)

6 – #16 Orlando Batina, +16.265s (2º Júnior)

7 – #31 Duarte Botelho, +17.616s (5º Pro)

8 – #12 João Aguiar-Branco, +20.186s (3º Júnior)

9 – #15 João Santos, +21.673s (6º Pro)

10 – #9 Francisco Esperto, +24.114s (7º Pro)

11 – #27 José Supico, +24.648s (8º Pro)

12 – #55 Afonso Vaz, +28.707s (9º Pro)

13 – #7 João Seabra, +29.744s (GUEST)

14 – #13 Manuel Moura Teixeira, +35.800s (10º Pro)

15 – #95 Leonor Espinhal, +40.665s (4º Júnior)

 

Volta mais rápida: Mariano Pires, 1m39.286s

 

Desqualificado:

16 – #577 Nuno Madeira

 

Scroll To Top