Sexta-feira , Março 22 2019
ÚLTIMAS
Home / VELOCIDADE / Problemas mecânicos condicionam estreia de Joaquim Teixeira com Renault Megane Trophy
Problemas mecânicos condicionam estreia de Joaquim Teixeira com Renault Megane Trophy

Problemas mecânicos condicionam estreia de Joaquim Teixeira com Renault Megane Trophy

 

 

A Rampa da Penha marcou a estreia do Renault Megane Trophy no Campeonato Nacional de Montanha Valvoline mas Joaquim Teixeira não pôde mostrar o seu andamento devido a problemas de caixa e embraiagem no carro francês.

Sendo um dos mais experientes e respeitados pilotos do Nacional de Montanha, era grande a expectativa para a estreia oficial de Joaquim Teixeira ao volante do espectacular Renault Megane Trophy, um carro de chassis tubular e motor V6 que normalmente é capaz de grandes prestações em pista. Contudo, a caixa de velocidades e a embraiagem do Megane tiveram graves problemas na Rampa da Penha e o piloto da equipa BOMPISO só completou duas subidas de prova para poder integrar a classificação final.

“Desportivamente o fim-de-semana foi muito mau”, afirmou Joaquim Teixeira. “Os problemas de caixa e embraiagem impediram-me de efetuar subidas sábado e obrigaram-me fazer as subidas de domingo só com três velocidades e sem embraiagem. Cada vez que acelerava o carro embraiava e não andava. No entanto, como não tinha qualquer hipótese de discutir o pódio da categoria, o meu único objetivo foi participar e concluir duas subidas de prova para pelo menos me classificar”.

Ainda assim, Joaquim Teixeira encontrou uma grande camaradagem no meio de todas as adversidades em Guimarães. “Gostaria de realçar que só consegui ter o carro no domingo devido à ajuda de dois pilotos : o Domingos Fernandes, que me disponibilizou a carrinha, e o Paulo Silva da PD Auto, que cedeu o reboque para a minha equipa ir a Vila Real reparar a caixa de forma a que eu pudesse participar. Por aqui podemos ver o espírito de amizade e companheirismo que existe no Campeonato Nacional de Montanha, até porque o Paulo Silva era meu concorrente direto e preferiu ajudar-me sem pensar na classificação. No entanto todo este trabalho só foi possível porque a minha equipa, a Martins Speed, concretamente o seu diretor Luís Martins, o chefe de mecânicos Sr. Jorge e o Pedro trabalharam toda a noite para conseguir colocar o Megane em pista no domingo. Aos cinco o meu muito obrigado”, agradeceu o piloto da BOMPISO, que se classificou no 6º lugar da Categoria 4.

Depois de ter comprovado o enorme interesse que o Renault Megane Trophy desperta no público, Joaquim Teixeira também analisou o bom momento do Campeonato Nacional de Montanha. “Parece-me que vai ser uma época muito competitiva e basta ver as lutas ao décimo de segundo que existiram em todas as categorias. Na Categoria 1 existiu muita luta em cada um dos grupos CN e CM. Na Categoria 2 tivemos quatro concorrentes a disputar o primeiro lugar até à derradeira subida. Na Categoria 3 também houve quatro concorrentes a lutar pela primeira posição. Na Categoria 4 tivemos três pilotos a discutir os lugares do pódio, e com a chegada de mais um ou dois a competição vai ser mais intensa. Em suma penso que poderá ser o melhor Campeonato de Montanha dos últimos anos. Basta ver que debaixo de muita chuva e em simultâneo com mais duas provas, uma delas do Mundial de Ralicross, a Rampa da Penha teve muito público, além de uma grande qualidade de viaturas e pilotos. Mas nem tudo foi bom porque existem vários pontos que necessitam de correção urgente ao nível da segurança em pista. Verificaram-se algumas situações durante as subidas que não podem voltar a acontecer sob pena de poderem vir a originar algum acidente muito grave”, explicou o piloto e responsável da APPAM.

A segunda prova do CNM será a emblemática Rampa Internacional da Falperra, nos dias 7 e 8 de Maio.

 

Scroll To Top