Segunda-feira , Outubro 14 2019
ÚLTIMAS
Home / RALI / QUINTO PÓDIO CONSECUTIVO PARA O C3 WRC GRAÇAS AO 3º LUGAR DE OGIER – INGRASSIA NA ARGENTINA
QUINTO PÓDIO CONSECUTIVO PARA O C3 WRC GRAÇAS AO 3º LUGAR DE OGIER – INGRASSIA NA ARGENTINA

QUINTO PÓDIO CONSECUTIVO PARA O C3 WRC GRAÇAS AO 3º LUGAR DE OGIER – INGRASSIA NA ARGENTINA

 

 

 

Sébastien Ogier e Julien Ingrassia protagonizaram mais um magnífico desempenho ao conquistar o seu quarto pódio da temporada, e o quinto do Citroën Total World Rally Team em 2019, após uma recta final de cortar a respiração na última Etapa do rali

 

 

 

 

 

Depois de os organizadores do rali terem decidido, na noite de sábado, aplicarem uma penalização de 10 segundos aos seus rivais directos na luta pelo último lugar do pódio ­– por não terem seguido o percurso de prova numa das Especiais da segunda Etapa – Sébastien Ogier e Julien Ingrassia arrancaram para a última Etapa de domingo na terceira posição. À partida para as difíceis Especiais de El Condor e Giulio Cesare, dispunham de uma curta vantagem de 6,0 segundos. Adotando a sua famosa atitude de nunca desistir, os sêxtuplos campeões do mundo lutaram com determinação aos comandos do C3 WRC, sem esquecer a importância de assegurar uma boa pontuação para o campeonato. No final, o seu esforço foi recompensado: a vitória na Power Stage e a sua terceira vitória em Especiais do fim de semana colocou-os no pódio final, com apenas 1.4 segundos de vantagem.

 

O terceiro posto obtido por Sébastien e Julien, combinado com os cincos pontos de bonificação conquistados na Power Stage, traduz-se na consolidação do seu segundo lugar no campeonato do mundo, a dez pontos dos líderes. Este foi o seu quarto pódio este ano, após as vitórias em Monte-Carlo e no México e o segundo lugar na Córsega. Para o Citroën Total World Rally Team, os cinco ralis desta temporada equivalem a cinco ralis concluídos entre os três primeiros.

 

Apesar das difíceis condições de aderência, em constante mutação, particularmente no primeiro dia após a forte chuva que caiu antes do evento, a dupla francesa protagonizou um excelente início, mantendo-se consistentemente entre os primeiros, e terminou a Etapa em segundo lugar à Geral, apenas a 11,9 segundos dos comandantes. O segundo dia provou ser mais complicado. Induzido em erro por um dúvida no percurso durante a primeira passagem da manhã (ES11), devido a um portão aberto do lado esquerdo da estrada – o qual o roadbook indicava como estando fechado – Sébastien e Julien hesitaram e acabaram por danificar a direcção assistida do seu C3 WRC quando embateram no portão. Devido a isso, caíram para a sexta posição, a 21,8 segundos de um lugar no pódio. De seguida, na segunda passagem, lutaram com a toda a fibra dos campeões que são, vencendo duas Especiais enquanto abriam caminho para o quarto lugar à Geral, o que lhes garantia fortes possibilidades de terminar no pódio à partida para o último dia.

 

Depois de fazer um belo começo, com um quinto tempo mais rápido na primeira verdadeira Especial do Rali (ES2), Esapekka Lappi e Janne Ferm foram, infelizmente, vítimas de um furo logo de seguida (ES4), quando embateram numa berma alta no topo de uma subida. A dupla finlandesa estava a aumentar gradualmente o seu ritmo naquela que era apenas a sua segunda participação na Argentina, conseguindo diferenças de tempo bastante promissoras, quando um pneu se soltou após um furo, o que resultou no capotamento do carro (ES8) e ditou o seu abandono do rali logo na primeira Etapa.

Competindo na classe WRC2 Pro ao volante de um C3 R5, Mads Østberg e Torstein Eriksen obtiveram a sua segunda vitória consecutiva na categoria, após o Rali da Suécia, acumulando também um belo registro de dez vitórias em Especiais de um total de dezassete disputadas. Mais uma prova da competitividade deste produto competição-cliente da Citroën Racing, desta vez nas muito exigentes estradas argentinas, onde o C3 R5 competiu pela primeira vez.

 

O QUE ELES DISSERAM…

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“É um resultado muito bom em termos de pontuação, mas não podemos estar totalmente satisfeitos com o nosso nível de desempenho. Existem algumas situações, como as que tivemos no México ou nas segundas passagens aqui na Argentina, em que somos bastante competitivos. Mas temos que melhorar o nosso rendimento quando há menos aderência ou quando a estrada é mais técnica. Estou feliz por ver a nossa persistência recompensada, porque, mais uma vez, este fim de semana, e sempre que possível, andamos ao máximo até ao fim da prova.”

 

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Apesar de não conhecer particularmente bem as estradas na Argentina, estava, obviamente, a contar com um resultado melhor nesta ronda. Mas depois de ter furado, perdi totalmente a trajectória quando, de repente, o pneu se soltou. Isso fez o carro entrar em subviragem, embater numa berma alta da estrada e capotar. Como é óbvio, peço desculpa a toda a equipa, mas, depois de alguns dias de descanso com a minha família, o Janne e eu estamos a postos para arrancar para o Chile e fazer o melhor rali possível, onde estaremos todos em pé de igualdade em termos de experiência.”

 

DUAS PERGUNTAS A PIERRE BUDAR, DIRETOR DA CITROËN RACING

Que avaliação faz da performance da equipa no Rali da Argentina?

“Foi um fim de semana difícil, com o qual não podemos estar satisfeitos. Os pontos do terceiro lugar e da Power Stage são bastante positivos no que se refere ao campeonato, mas faltou-nos ritmo nestas estradas. O resultado deve-se, em grande parte, ao incansável empenho e persistência do Sébastien e do Julien. Por seu lado, o Esapekka e o Janne mereciam, no mínimo, fazer o rali até ao fim, para continuarem a acumular experiência. Talvez no futuro tenham de gerir um furo de forma diferente, mas apoiamo-los a 200% para que eles estejam totalmente em forma no Chile.”

 

Como tencionam fazer a passagem para o Chile?

“Primeiro, vamos tratar do transporte do C3 WRC de reserva para o Chile, para o Esapekka e o Janne terem um carro completamente novo para o evento. Embora tenhamos relativamente pouco tempo, vamos também trabalhar, tanto quanto possível, na melhoria do C3 WRC em condições claramente identificadas, e definir o melhor ‘set-up’ para o rali. É um evento novo para todos e também será bastante diferente do que tivémos este fim de semana. Em qualquer caso, estamos todos altamente motivados em continuar a lutar ao máximo pelo campeonato.”

 

O PONTO ALTO DO FIM DE SEMANA

Jean-Luc Gaucher, mecânico-chefe de Sébastien Ogier e Julien Ingrassia, foi o homem encarregue de coordenar a Assistência a meio da Etapa de sábado, durante a qual os mecânicos da Citroën repararam os danos do C3 WRC número 1. Gaucher conta como foi possível levarem apenas 40 minutos para reparar a direção do carro, gravemente danificada pela formação francesa num pequeno impacto.

 

“Na verdade, tivemos de substituir imensas peças. Toda a direcção assistida, claro, mas também a caixa de velocidades, a unidade hidráulica e a embraiagem. De um modo geral, este tipo de reparações precisa de ser cuidadosamente planeada de antemão, para que todos saibam exatamente a sequência dos procedimentos e fazer as coisas correctamente assim que cada um iniciar a sua tarefa. Dado que, nesse momento, tínhamos apenas um carro em prova, pudemos contar com todos os nossos oito mecânicos nesta operação; por outro lado, estávamos limitados pelo espaço físico a ter apenas quatro pessoas a trabalhar na frente do carro, na zona crítica da reparação. Apesar de treinarmos frequentemente este tipo de situações, é sempre gratificante ver que as coisas funcionam em condições reais. Era importante ter o carro totalmente funcional o mais rápido possível, porque quando se trabalha em sistemas hidráulicos, o procedimento de reinício demora bastante tempo, mas isso foi exatamente o que conseguimos fazer. Depois de uma reparação longa e difícil como esta, há sempre um certo receio de que nos tenhamos esquecido de montar alguma coisa, por isso foi bom – e tranquilizador – para todos nós ver, pouco depois, o Sébastien e o Julien vencer duas Especiais consecutivas.”

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL (provisória)

  1. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 3h20’54’’6
  2. Mikkelsen / Jaeger (Hyundai i20 WRC) +48’’4
  3. Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC) +1’04’’8
  4. Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC) +1’06’’2
  5. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) +1’21’’1
  6. Sordo / Del Barrio (Hyundai i20 WRC) +1’26’’7
  7. Suninen / Salminen (Ford Fiesta WRC) +4’57’’3
  8. Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) +14’24’’8
  9. Ostberg / Eriksen (Citroën C3 R5) +14’28’’5

 

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

  1. Thierry Neuville – 110 pontos
  2. Sébastien Ogier – 100 pontos
  3. Ott Tänak – 82 pontos
  4. Kris Meeke – 54 pontos
  5. Elfyn Evans – 43 pontos
  6. Andreas Mikkelsen – 30 pontos
  7. Jari-Matti Latvala – 28 pontos
  8. Esapekka Lappi – 26 pontos
  9. Dani Sordo – 26 pontos
  10. Sébastien Loeb – 22 pontos

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

  1. Hyundai WRT – 157 pontos
  2. Toyota Gazoo Racing – 120 pontos
  3. Citroën Total WRT – 117 pontos
  4. M-Sport Ford WRT – 78 pontos

 

 

Scroll To Top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com