Terça-feira , Dezembro 11 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / RALI SERRAS DE FAFE: QUE GRANDE PROVA!
RALI SERRAS DE FAFE: QUE GRANDE PROVA!

RALI SERRAS DE FAFE: QUE GRANDE PROVA!

Milhares de espectadores, uma lista de participantes verdadeiramente de luxo e uma prova disputada até ao final foram os pontos fortes da prova organizada pelo DEMOPORTO.

Dificilmente se poderia desejar uma melhor abertura para o Campeonato Nacional de Ralis (CNR), ficando a promessa de estarem reunidas as condições para uma das melhores épocas do último ano.

Ricardo Moura e António Costa em Ford Fiesta R5 entraram ao ataque e logo na primeira classificativa, Confurco 1, assinaram o melhor tempo, colocando a concorrência em sentido, desde o início.

A oposição foi protagonizada por Miguel Campos e Carlos Magalhães, que regressam à actividade após o Rali da Madeira de 2014 e estrearam aqui um Peugeot 208 R5.

João Barros e Jorge Henriques em Ford Fiesta R5 deram um ligeiro toque numa pedra, que danificou a jante e motivou a perda de pressão de um pneu. Os segundos perdidos até ao final da Lameirinha, foram o principal óbice a poderem andar um pouco mais na frente.

Mas para falar de azar, não podemos deixar de fora José Pedro Fontes e Miguel Ramalho, que tiveram problemas na direcção assistida do Citroen DS3 R5, quase até ao final da prova.

Adruzilo Lopes e Vasco Ferreira em Subaru Impresa R4 estiveram ao melhor nível, dominando o grupo RC2N e intrometendo-se numa luta que aparentemente não seria a sua. Nas duas rodas motrizes João Ruivo e António Magalhães tiveram um comportamento idêntico, dominando com o Renault Clio R3.

Em prova esteve também o Campeonato FPAK Norte, que foi dominado por Vítor Pascoal e Luís Ramalho, em Mitsubishi Lancer EVO VII. Logo no arranque da prova, Pascoal e Ramalho tiveram a vida um pouco mais facilitada, quando o motor do Mitsbishi Lancer EVO IV de Fernando Peres e José Pedro Silva, entregou a alma ao criador e os impediu de competir.

No Rali Sprint a vitória foi para Rui Guedes e Armindo Seara, em BMW E30 já na última classificativa.

Por fim uma palavra para o DEMORTO, clube organizador, que esteve ao melhor nível, conseguindo montar uma prova que nos remete para o que de melhor tem sido visto nos ralis nacionais, nos últimos anos.

 

Scroll To Top