Terça-feira , Março 19 2019
ÚLTIMAS
Home / BREVES / Red BullAir Race- OS SEGREDOS DA PELE DE TUBARÃO
Red BullAir Race- OS SEGREDOS DA PELE DE TUBARÃO

Red BullAir Race- OS SEGREDOS DA PELE DE TUBARÃO

As Winglets são uma das modificações mais comuns que podemos encontrar nos aviões de corrida. No entanto, existem outras muito menos óbvias. Uma carlinga mais pequena, geradores de vortex (que ajudam a reduzir as perdas de sustentação), aberturas nos ailerons, entradas de ar adaptadas e um revestimento tipo pele de tubarão são disso exemplo.

O revestimento tipo pele de tubarão não é propriamente uma novidade nos aviões de corrida, mas ao contrário das winglets não se espalhou tão rapidamente. Quando o campeonato regressou em 2014, Hannes Arch já tinha montado este sistema no seu avião. Lentamente, os outros pilotos têm vindo a aderir e hoje são cada vez mais os aviões que têm este revestimento nas asas.

Tendo em conta que as equipas não são autorizadas a modificar os motores e hélices dos seus aviões, a aerodinâmica tem sido uma das áreas prioritárias no sentido de melhorar as prestações. Uma das modificações para minimizar a resistência ao vento é o revestimento tipo pele de tubarão.

Petr Kopfstein a acompanhar a aplicação da pele sintética de tubarão no seu avião ©Predrag Vuckovic/RBARO que é exatamente o revestimento tipo pele de tubarão? É um revestimento sintético que reproduz a textura da pele de tubarão. Inicialmente, no meio aeronáutico pensava-se que quando mais liso melhor. Mais recentemente, uma série de estudos e testes vieram desmontar esta ideia. Hoje acredita-se que uma certa rugosidade até é benéfica.

Esta solução veio contribuir para o aperfeiçoamento da aerodinâmica e da eficiência dos aviões. A fonte de inspiração foram obviamente os tubarões, que fluem na água com rapidez e facilidade. Ao longe, a sua pele parece lisa e suave. Mas ao perto a pele do tubarão apresenta alguma irregularidade, com saliências longitudinais. Estas saliências ajudam a drenar a água ao longo do corpo do tubarão, reduzindo o atrito e, consequentemente, aumentando a velocidade na água.

A pele sintética de tubarão a brilhar no avião de Matt Hall ©Predrag Vuckovic/RBAR

Este fenómeno também se aplica à aerodinâmica dos aviões, com a pele de tubarão sintética a ajudar a reduzir o atrito ao ar. Outra vantagem é a poupança de combustível que daí resulta.

Desde 2004 que muitos pilotos têm optado pela pele sintética de tubarão para cobrir os seus aviões. Matt Hall fê-lo no fim da época passada e entretanto também já revestiu o seu novo Edge 540. Michael Goulian é outro exemplo. Petr Kopfstein foi um dos últimos a aderir a este dispositivo: “Trata-se da nova geração deste produto e eu sou o primeiro a montá-lo no meu avião“.

Questionado acerta das vantagens deste revestimento Matt Hall comentou: “Prefiro ter as asas cobertas com isto do que perder 0.010s e pensar que foi por causa de não montar o revestimento.”

 

 

 

Scroll To Top