Terça-feira , Outubro 15 2019
ÚLTIMAS
Home / TODO-O-TERRENO / Resistência e dureza em Mação
Resistência e dureza em Mação

Resistência e dureza em Mação

 

Não há outra palavra que melhor defina o que aconteceu este domingo em Mação: dureza. Não só pelo calor que se fez sentir, pelo pó que dificultou o trabalho das equipas, mas sobretudo pela pista desafiante que os homens do clube local – MAC TT – desenharam para a 5.a e penúltima prova do Campeonato Nacional de Trial 4×4.

Com algumas surpresas na classificação, esta jornada fica também marcada pela revalidação do título na classe promoção de António Silva. Quando falta uma jornada para terminar o campeonato, o piloto de Vale de Cambra é bicampeão nacional.

Jovem Jorge Araújo foi o vencedor do dia

Jorge Araújo (Team Dediland/Tuff 4×4), que se estreia esta época no CNTrial 4×4, correu acompanhado do veterano Diogo Barros e teve um dia muito feliz. A prova até começou com dificuldades com o guincho, mas tudo se resolveu e Jorge Araújo foi mesmo o mais forte em Mação, completando 12 voltas ao circuito. Depois da prata em Valongo e Penafiel e do bronze em Torres Vedras, em Mação chegou a vez de ganhar o ouro.

A prata de Domingos Diniz (Revi-Clap) já não foi tão surpreendente. O Vice-líder do CNTrial 4×4 já nos habituou aos bons resultados da sua regularidade. O motor do Suzuki Jimny deu alguns problemas, o que veio reforçar a necessidade de um andamento controlado. Ainda assim terminou a resistência a apenas 1 volta do líder.

A completar o pódio desta classe absoluto está Pedro Costa (Preparações Badinho 4×4), outro piloto habituado a subir ao pódio. Num dia marcado pelos problemas com a Nissan Navarra, valeu a persistência e resistência da equipa.

Quem não está habituado a perder é o campeão nacional em título mas em Mação, Flávio Gomes (TáBô Team 4×4), teve muitos problemas com o Jeep Wrangler amarelo. As avarias começaram logo de manhã, no prólogo, com um tubo de água e continuaram à tarde com a caixa de velocidades. Só correu 2 horas e 30 minutos, perdendo a liderança na meia hora final. Ainda assim, é o líder isolado da classe e nem precisa de subir ao pódio na última jornada para ser bicampeão.

Rui Querido cimenta a liderança

Se o resultado da classe absoluto surpreendeu, a luta aguerrida da classe XL já não foi surpresa para ninguém. Com 7 carros em pista, Rui Querido (Ladricolos/STS/Euro4x4parts), atual campeão nacional e líder da geral voltou a ser o vencedor. Mas não foi conquista fácil. A equipa de Torres Vedras partiu em segundo e chegou à liderança pouco depois do arranque. Seguia confortáveis na liderança quando partiu o veio de transmissão e caiu para segundo. Teve de atacar forte na parte final da prova para levar o terceiro ouro da época para casa. Com esta vitória, Rui Querido mantém-se como líder da classe XL e só depende de si para revalidar o título, a 25 de outubro, em Rebordosa.

Com menos uma volta ficou Carlos Rodrigues (Valvolinas Team/XS5/Leirilumen). O piloto ainda chegou a andar na frente, mas acabou a resistência em segundo.

É o quarto pódio, em 5 provas, para António Henriques (Mister Reboques). O piloto de Mangualde andou sempre a um excelente ritmo, nunca perdendo de vista a roda da concorrência mais direta. Partiu uma transmissão atrás e perdeu cerca de 30 minutos fundamentais na luta pela vitória. Terminou a resistência com 12 voltas, as mesmas de Carlos Rodrigues, mas gastou mais 6 minutos e 33 segundos.

António Silva é bicampeão

Na classe de promoção já há campeão nacional. Sem grandes dificuldades, António Silva (Canelas Pneus), chegou, viu e venceu. A ausência do segundo classificado, Rui Policarpo (TransAct Lat Team), faz com que, a uma etapa do fim do campeonato, António Silva já seja bicampeão da classe de promoção.

João Rebelo (Trial cars) seguia em primeiro quando partiu a homocinética. Perdeu a liderança e passou a correr condicionado durante o resto da resistência.

Hugo Tenreiro (Mister Reboques 2) conseguiu mais um bronze em Mação. Ainda chegou a andar na frente, mas partiu uma transmissão atrás e sofreu com o pó e a dureza da pista. Ficou a 4 voltas do vencedor.

Troféu Auto Russo deu oportunidade aos locais

Em Mação, e à semelhança de Penafiel, houve mais uma categoria do que nas restantes provas do Campeonato. O Clube MAC TT quis possibilitar às equipas da região a experiência do CNTRial 4×4 e alargou a competição a viaturas de série, com ou sem modificações e com pneus até 37 polegadas. 2 equipas, de Ponte de Sor e Abrantes, competiram assim no Troféu Auto Russo, uma prova extra-campeonato. A vitória foi de Tiago Jacinto (Leirilumen/Auto variante).

Já só falta uma prova para terminar a época 2015 do Campeonato Nacional de Trial 4×4. É já chamada de prova rainha e acontece, uma vez mais, no concelho de Paredes. À semelhança de 2014 é em Rebordosa que o Campeonato se decide. Falta encontrar os campeões das classes Absoluto e XL e por isso 25 de outubro é dia de ir até Rebordosa, Paredes.

 

Scroll To Top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com