Quinta-feira , Abril 18 2019
ÚLTIMAS
Home / RALI / Ricardo Teodósio quer regressar de Ford Fiesta R5 em 2016
Ricardo Teodósio quer regressar de Ford Fiesta R5 em 2016

Ricardo Teodósio quer regressar de Ford Fiesta R5 em 2016

O piloto Ricardo Teodósio, navegado por José Teixeira, conduziu o Fiesta R5 à sexta posição no Rali Casinos do Algarve, depois e muitas aventuras e peripécias pelo meio

 

A dupla Teodósio Motorsport, Ricardo Teodósio e José Teixeira, teve um fim-de-semana alucinante antes e durante o Rali Casinos do Algarve. Depois de 24 quilómetros de testes, suspensos devido à quebra do motor com 0 km, a experiente formação algarvia encontrou no Ford Fiesta R5 um aliado de peso para enfrentar a derradeira prova do Nacional de Ralis.

No primeiro dia de competição e com o carro da marca do oval com um novo bloco, Ricardo Teodósio entrou ao ataque no troço de abertura, «mas com cerca de três quilómetros de especial percorridos, o motor calou-se durante 2m15s, deitando por terra as nossas aspirações num bom resultado na prova desenhada pelo Clube Automóvel do Algarve», começou por referir Ricardo Teodósio.

Depois de muita insistência, a viatura ganhou nova “alma” para regressar à estrada, mas a continuidade na prova teve novos episódios, uma vez que a dupla Teodósio Motorsport não teve outra alternativa que seguir no pó de um concorrente que, entretanto, passou para a sua frente, vindo posteriormente a parar dado que a viatura que seguia na sua frente ficou parada num a ribeira, obrigando os algarvios a parar de novo, custando a perda total de 3m30s.

Na segunda especial, o motor voltou a calar-se por cerca de 30 segundos, mas no terceiro e quarto troço, embora com algumas falhas à mistura, Ricardo Teodósio e José Teixeira registaram o 5.º e 4.º melhor tempo, respectivamente.

Com o regresso da equipa ao parque de assistência, no final do primeiro dia de competição, os profissionais da P&B Racing diagnosticaram o problema no Ford Fiesta R5: avaria no sensor map, associada a uma arreliadora “dor de cabeça” para piloto e navegador a abrir o Rali Casinos do Algarve.

Com o problema debelado, a dupla Teodósio Motorsport encarou o segundo e derradeiro dia de competição com novo alento, readquirindo total confiança ao cotar-se a terceira mas rápida à geral, «embora o motor continuasse a evidenciar falhas, não como as anteriores, mas momentâneas e, naturalmente, menos prejudiciais», avançou o piloto.

A equipa algarvia partiu para a prova especial seguinte motivada no sentido de tirar o máximo partido possível, rodando, no entanto, no pó de Marco Cid nos últimos 4 quilómetros: «Dada a impossibilidade do piloto leiriense aperceber-se da aproximação repentina do Ford Fiesta R5, dada a quantidade de pó deixada pelo rasto da sua viatura, a vitória que parecia certa traduziu-se no terceiro tempo à geral, a somente quatro 4 segundos do vencedor», sustentou Ricardo Teodósio.

«Para a 7.ª prova especial optámos por penalizar 10 segundos e usufruir de mais um minuto de diferença para o concorrente precedente, mas a táctica não resultou porque houve um reagrupamento dentro dos controlos, fazendo-nos voltar à estaca zero. Face a mais este episódio, voltámos a apanhar um concorrente na parte final e, mesmo assim, conseguimos o 2.º lugar da prova especial», confidenciou o “patrão” Teodósio Motorsport.

A adaptação dos algarvios à viatura era cada vez mais evidente, partindo para a última prova especial determinados em levá-la de vencida de qualquer forma, recorrendo à táctica de penalizar de novo e abrir espaço para os seus intentos. O resultado não poderia ter outro desfecho. Vitória no troço e um andamento vigorosos e espectacular, pese embora a viatura nunca tenha rodado a 100%, uma vez que o motor falhou por diversas vezes nas especiais percorridas.

Perante este desiderato, Ricardo Teodósio não tem dúvidas: «Caso não tivesse-mos sido “atropelados” por inúmeros azares, um lugar no pódio teria sido uma realidade e, quiçá, lutar pelo degrau mais alto».

Em jeito de aceleração contínua, Ricardo Teodósio disse ainda que ficou evidente que, «com mais alguma experiência neste tipo de viatura, podemos bater-nos de igual para igual com os restantes intervenientes do Nacional de Ralis, restando agora consolidar as nossas ambições futuras, colocando o projecto de pé para que o campeonato de 2016 seja efectuado num R5».

«Queremos agradecer aos nossos patrocinadores que, mais uma vez, possibilitaram este sonho, nomeadamente o “main sponsor” – Restaurante Teodósio na pessoa de Clotilde Teodósio, Os Cafés Nicola, Strong Answer, Garvetur, Azimut – Sports Park, Garrafeiras Garcias, Vinhos Santa Vitória, Zenonline Publicidade, e a todos aqueles que, de uma forma ou de outra, também contribuíram de forma decisiva. Um agradecimento especial a Teodósio Motorsport, P&B Racing, fãs e público em geral que se deslocaram às bermas da estrada e parque de assistência para nos apoiar incondicionalmente. A todos, sem excepção, o nosso muito obrigado», afiançou a dupla algarvia.

 

 

Scroll To Top