Sexta-feira , Fevereiro 22 2019
ÚLTIMAS
Home / MOTOS / SWM disputa CNTT 2019 pela mão de Armindo Neves
SWM disputa CNTT 2019 pela mão de Armindo Neves

SWM disputa CNTT 2019 pela mão de Armindo Neves

Tendo regressado ao todo-o-terreno em 2014 após 13 anos de jejum será pela mão de Armindo Neves que o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno vai ter a competir em 2019 uma SWM RS 300R, com o apoio da fábrica e do distribuidor oficial para Portugal a Lusomotos.

Um projeto desta natureza justifica que antes de se falar do projeto desportivo e ambições do piloto se faça primeiro uma retrospetiva histórica e o enquadramento na realidade atual. A SWM foi formada em Milão no ano de 1971 por dois pilotos de off-road. A gama era composta por 3 modelos – 50cc, 100cc, 125cc com motores Sachs. Conquistou um título no campeonato italiano de Motcross 125cc e uma medalha de bronze no Europeu de Endurance também de 125cc, mas cessou a sua produção em 1984

Em 2014 a SWM ressurgiu, sediada em Itália, como resultado de uma nova parceria entre Apelio Macchi e Daxing Gong. O engenheiro italiano tinha anteriormente trabalhado na Cagiva, Aprilia e Husqvarna com as quais obteve 51 títulos mundiais (46 com Husky 5 com Aprilia). Gong é um empresário chinês de sucesso e chefe do grupo Shineray, um fabricante em grande escala de veículos de duas e quatro rodas na China.

Na EICMA 2014 foram apresentados seis novos modelos da SWM onde a maioria do pessoal são ex-funcionários Husqvarna que já trabalhou sob a direção de Macchi. A produção da primeira RS650 começou em julho de 2015. Os modelos RS são baseados no projeto Husqvarna.

É aqui que volta a entrar Armindo Neves: “Vou disputar o CNTT 2019, na classe TT2 aos comandos de uma SWM RS 300R. O grande objetivo é dar a conhecer a marca, que é uma marca histórica fabricada em Itália e demonstrar que é possível ser competitivo com um produto de referência, que herdou um enorme know-how e que está disponível no mercado por um preço muito abaixo da concorrência. Vai ser um enorme desafio para mim, mas que estou a encarar com um grande entusiasmo”.

Um player muito importante neste projeto é a Lusomotos, o importador da SWM, uma casa com quem Armindo Neves tem uma relação de mais de 20 anos: “Uma relação que vem desde o tempo que competia “a sério”, agora limito-me a dar o meu melhor, mas tenho pela frente um título de Veteranos para conquistar. Sempre fui apoiado pela Lusomotos e construímos desde essa altura uma forte amizade e respeito mútuo” salienta o piloto natural de Benavila, no concelho de Avis, que acrescenta:

“É para mim é um forte motivo de orgulho estar ligado a uma empresa de referência, com gente de bem e apaixonada pelas 2 rodas, e que nos conhecemos e respeitamos há muitos anos. Vindo de quem veio não podia recusar este desafio.

Armindo Neves, estreou-se na terceira edição da Baja de Portalegre no ano de 1989. Interrompeu a sua participação em provas de todo-o-terreno após a prova alentejana de 2001, tendo iniciado no ano seguinte um percurso nas quatro rodas no mundo dos ralis. Regressou ao TT em 2014 e em 2016 competiu também em motos de velocidade sempre com o apoio da Lusomotos.

O Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno terá sete provas e arranca já no próximo dia 16 de Fevereiro com o Raid TT Paraíso do Todo-o-Terreno com organização do Góis Moto Clube.

 

Scroll To Top