Terça-feira , Maio 17 2022
ÚLTIMAS
Home / RALI / Transmissão acaba com boa exibição de Marco Ferreira no Termas MotorFest
Transmissão acaba com boa exibição de Marco Ferreira no Termas MotorFest

Transmissão acaba com boa exibição de Marco Ferreira no Termas MotorFest

Rápidos desde o arranque do Rali Termal, incluído no Termas Motorfest, Marco Ferreira e Edgar Gonçalves foram forçados a abandonar na 4ª PEC, com uma transmissão partida no Citroen Saxo.

Foi um fim-de-semana diferente com a equipa do Citroen Saxo a usufrur “de um fantástico evento onde houve diversas atividades além do rali. Um conceito virado para a família, para a gastronomia, para a moda e para o relax, e que nos deixou com vontade de voltar”.

E nem a malapata que parece não querer deixar o piloto de Santiago do Cacém lhe retira essa vontade. Mas, ainda não foi desta feita que a equipa do Citroen Saxo conseguiu competir num rali sem que os por0blemas lhes batam à porta.

Vamos ao filme da sua participação em São Pedro do Sul.

O rali arrancou na tarde e a dupla passagem na Street Stage nas ruas das Termas de São Pedro do Sul foi feita “com um ritmo prudente. Éramos o nº 32 e não quisemos cometer erros. Na primeira passagem registámos um 12.º tempo à geral e na 2ª conseguimos melhorar 6 segundos e com isso assinar a 10ª melhor marca, 2.ª da nossa classe”.

A jornada final de domingo contemplava 5 troços com cerca de 54 kms cronometrados e a possibilidade de chuva sempre presente ao longo da jornada.

Partindo no 12º posto absoluto, Marco Ferreira e Edgar Gonçalves decidiram “andar forte, até porque percebemos que o Citroen Saxo estava impecável e que as notas ditadas pelo Edgar também permitiam-me estar confiante”, destaca o piloto que viu ser inscrito na sua carta de controlo o 13.º tempo absoluto e o 2.º da classe na PEC 2.

Na especial seguinte, a mais longa do rali, a dupla rodou forte, mas sem exageros, e voltou a registar o 13º tempo absoluto, saltando para a 11ª posição na geral, batendo assim à porta do Top 10.

Mas, o azar estava prestes a bater à porta. Na 4ª PEC, segunda passagem pelo troço que tinha aberto a jornada dominical, e, quando, como nos diz Marco Ferreira, aumentaram “o ritmo fruto do conhecimento que obtivemos da primeira passagem e estava tudo a correr bem, apesar de começar a chover e estarmos com pneus de seco, numa travagem forte para uma esquerda, a cerca de 300 metros da chegada, ouvimos um ruído na redução de 4.ª para 3.ª e percebemos que não tínhamos qualquer tração. Encostámos na berma e verificámos que a transmissão tinha cedido”, nada mais restando à dupla do Saxo do que abandonar a prova.

Fim inglório e que deixa “um sabor amargo. Estávamos a divertir-nos bastante e a andar bem. Em todo o caso, também percebemos que íamos ter bastantes dificuldades nos restantes troços, pois a chuva aumentou de intensidade e nós não tínhamos pneus para fazer face a essas condições”.

Marco Ferreira concluiu endereçando “os parabéns à organização pelo evento e pela escolha dos troços. Eram muito giros, com bom piso na generalidade, zonas rápidas e fluidas e outras muito estreitas e escorregadias, portanto, com todos os condimentos para um excelente rali. O público também abrilhantou a corrida, principalmente na Street Stage o que é sempre de aplaudir”, agradecendo ainda “ao Luís Martins pelo convite, e ao Carlos Cardoso e ao Fernando Costa pela assistência ao Citroën Saxo. Uma palavra para os nossos patrocinadores, que permitem que possamos montar mais um projeto de ralis e um agradecimento especial à minha esposa e filhos que fizeram imensos quilómetros para dar força e aplaudir as nossas passagens!”.

&nbsp

Scroll To Top
Posting....