Segunda-feira , Dezembro 10 2018
ÚLTIMAS
Home / RALI / Vítor Pascoal implacável ao volante do Porsche 997 GT3 no Rali de Águeda
Vítor Pascoal implacável ao volante do Porsche 997 GT3 no Rali de Águeda

Vítor Pascoal implacável ao volante do Porsche 997 GT3 no Rali de Águeda

 

 

Piloto do Baião “transformou” a prova “Regional Centro”, que toca públicos muito diversificados, num cenário verdadeiramente nacionalista. O lugar mais alto do pódio foi uma grande conquista para a cidade de Águeda, que voltou a receber em festa a prova do Clube Automóvel do Centro brilhantemente promovida pela Promolafões.

 

Foi a vitória do querer e do espírito de sacrifício. Vítor Pascoal e Pedro Alves tiveram de suar as estopinhas para recuperar de um a penalização na super-especial nocturna de sábado e “mover-se”, entre dúvidas e incertezas, para recuperar o tempo perdido e culminar no lugar mais alto do pódio no Rali de Águeda.

Aos comandos de um retumbante Porsche 997 GT3, o piloto do Baião devolveu o regozijo de milhares de pessoas quando “cruzou” os limites para elevar-se no pelotão, escrevendo, sem apelo nem agravo, mais uma página dourada na sua encruzilhada por esta disciplina do desporto automóvel que abraçou ainda muito jovem.

Após a primeira passagem pelas especiais de Falgoselhe (8,25 km) e Préstimo (12,28 km), Vítor Pascoal chegou ao parque de assistência com a missão do dever do cumprido, mas pela frente estava mais uma dose de sacrifício mas com muita força de vontade para superar as adversidades, entre as quais os ataques demolidores de Miguel Abrantes e Marco Saraiva que, aos comandos de um “irrequieto” Skoda Faboa S2000, também vinha de uma penalização e com o objectivo de recuperar o fôlego.

Com os dois protagonistas a gizarem uma postura de elevada performance, Vítor Pascoal acabou por desenhar um triunfo inabalável, com o tempo de 30m10,9s, com Miguel Abrantes a ter se contentar com o lugar intermédio do pódio, a menos de 20 segundos de diferença, o que traduz na perfeição a luta titânica patenteada pela vitória.

Numa prova que também ficou na história dos ralis, com um recorde de público que emoldurou, primeiro as ruas da cidade de Águeda e, depois, as estradas do concelho, Pedro Antunes, navegado por Paulo Leones, e Paulo Antunes, coadjuvado por Paulo Amorim, ambos em Peugeot 208 R2, procuraram decifrar a chave que os levaria ao lugar mais baixo do pódio.

Depois de uma luta acesa e de muito porfiar, a dupla formada por Pedro Antunes e Paulo Leones superou todas as expectativas e não deu tréguas aos seus opositores, acabando por alcançar o passaporte para fazer a festa. Contudo, Paulo Antunes e Paulo Amorim deixaram uma imagem de excelência no Critério Jorge Amorim, contemplando o público com uma condução de tirar o chapéu, em que apenas 2,5 segundos separaram as duas equipas, que lutaram como dois galos pelo poleiro.

Já Ricardo Coelho, que faz equipa Daniel Pereira, conduziu o Toyota Starlet ao “top five”, também fruto de uma prestação notável, relegando para a sexta posição José Gomes e Pedro Vaz que, ao volante de um Citroën Saxo Kit Car, festejou com pompa e circunstância a ronda pontuável para o Campeonato Regional Ralis do Centro – Jorge Amorim.

 

Scroll To Top