Quarta-feira , Março 20 2019
ÚLTIMAS
Home / RALI / Vitória categórica de Pedro Antunes e Paulo Lopes no Rallye Serras de Fafe
Vitória categórica de Pedro Antunes  e Paulo Lopes no Rallye Serras de Fafe

Vitória categórica de Pedro Antunes e Paulo Lopes no Rallye Serras de Fafe

 

 

Vencendo 12 dos 13 troços do Rallye Serras de Fafe 2019, jornada inaugural da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2019, Pedro Antunes e Paulo Lopes assumiram-se como a primeira dupla de referência para a presente temporada desta copa ibérica de ralis. Depois de uma 1ª Etapa feita com cabeça, sabendo que a fatia maior do rali se desenrolaria no segundo dia, a dupla do Peugeot 208 R2 nº 48 não deixou de marcar, de forma vincada, a sua pretensão a um título que lhe fugiu em 2018. Daniel Nunes/Rui Raimundo e Alberto Monarri/Borja Rosada, ocuparam os restantes lugares do pódio.

 

Exemplificativo da competitividade e do grau de preparação e fiabilidade do plantel da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2019, foram nada menos do que 18 os Peugeot 208 R2 que atingiram o final do Rallye Serras de Fafe, primeira prova da temporada, num grupo que teve à cabeça Pedro Antunes/Paulo Lopes, dupla portuguesa que praticamente dominou este rali organizado pela DemoPorto, na região de Fafe.

 

Aproveitando o potencial da sua bem preparada viatura, Antunes e Lopes começaram por se impor logo no início do rali, assinando os melhores tempos na dupla passagem de ontem (sexta-feira) por Luílhas, para depois, na Super Especial desenhada no centro de Fafe, verem-se afetados por um pequeno problema. Com isso viriam a perder o 1º lugar provisório, mas sem que tal significasse, em absoluto, terem abdicado da luta pela vitória, algo que viriam a demonstrar, de forma inequívoca, ao longo das 10 Especiais da 2ª Etapa – Ruivães, S. Pedro e Aboim/Rio Vizela (de manhã) e Montim e Lameirinha (à tarde), todas cumpridos em dupla passagem – já que registaram o melhor tempo em todas elas, num acumular de excelentes resultados que solidificou a sua posição final, de vencedores desta jornada inaugural da copa organizada pela Peugeot Portugal e pela Peugeot Espanha.

 

Os seus maiores adversários foram, ao longo de todo o rali, Daniel Nunes e Rui Raimundo, que depois de vencerem a Super Especial noturna – troço espetáculo que, inexplicavelmente, se prolongou até altas horas da madrugada – se viram catapultados para um 1º lugar que lhes viria a ser efémero. Vendo-se ultrapassados logo no primeiro troço da manhã de hoje (sábado) e depois de inúmeras tentativas de aproximação à liderança, nunca conseguiram traduzir esse ímpeto em resultados que os elevassem ao lugar mais alto do pódio. Terminaram, assim, no 2º lugar, a 42,5 segundos desse objetivo.

 

Atrás desta batalha lusitana pelo 1º lugar, eram as formações espanholas quem assumia a luta pelo lugar mais baixo do pódio, nomeadamente depois do abandono dos portugueses Carlos Fernandes/Rui Leones, que ontem chegaram a ser 3ºs classificados. Essa importante posição ficaria, no final, para Alberto Monarri/Borja Rosada, depois de ganharem, nos últimos troços, tempo suficiente para suplantar José Maria Reyes/Diego Sanjuan, dupla que ocupou esse lugar ao longo de quase todo o dia de hoje. A diferença final entre eles foi de apenas um décimo de segundo.

 

De entre os restantes contendores fora da Península Ibérica que se inscreveram nesta Temporada 2 da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA, eram os britânicos Ruairi Bell/Darren Garrod quem garantia a melhor posição, com um então merecido 5º lugar, mas uma penalização viria a atirá-los para o 10º posto, sendo, por isso, ultrapassados por um alargado grupo internacional que se entregava a uma luta muito particular e que incluía os espanhóis Daniel Berdomas/David Roberto (5ºs no final), os eslavos Georg Linnamäe/Volodymyr Korsia, os também espanhóis Josep Bassas/Sergi Bruge (6ºs), os portugueses Hugo Lopes/Nuno Ribeiro (7ºs), respetivamente, e ainda Álvaro Pérez/Brais Miron, também do país vizinho.

 

A cerimónia de consagração dos vencedores fez-se no Pódio Final, montado na Praça 25 de Abril (Fafe), local onde Pedro Antunes resumiu esta prova: “Foi um rali fantástico, que nos correu muito bem, pelo que estamos muito satisfeitos com o resultado. É muito bom começar o ano com uma vitória, ajudado pelo melhor tempo em quase todos os troços. Só a Super Especial nos correu menos bem, devido a um pequeno problema com a direção assistida, que depois resolvemos na Assistência”.

 

Uma palavra final para o facto de, em conjunto com o seu navegador Paulo Lopes, terem somado os 25 pontos deste 1º lugar e, por terem alcançado o melhor tempo em 12 das 13 Especiais deste rali, somando 4,56 pontos adicionais (ou seja, a quase totalidade dos 5 pontos que, segundo o Regulamento Desportivo são atribuídos, por divisão ponderada, aos vencedores dos troços de cada rali desta copa ibérica).

 

Daniel Nunes referiu estar “muito satisfeito com o resultado, em troços em que onde nos aproximámos do Pedro em termos de tempos, face ao ano passado. Evoluímos muito e esperamos, agora, pelo próximo confronto no Sierra Morena”.

 

Muito satisfeito estava, também, Alberto Monarri, piloto espanhol que fez aqui a sua estreia em ralis portugueses: “Foi um rali fantástico e este resultado final espelha-o, traduzido num esforço extra que decidi fazer, em face da minha maior confiança com o meu 208 e com os troços portugueses. Arriscámos e resultou, pelo que este 3º lugar tem um sabor muito especial”.

 

Completaram o Rallye Serras de Fafe 18 dos 23 Peugeot 208 R2 que o iniciaram na tarde de sexta-feira, fator que atesta a robustez das máquinas com assinatura da Competição Cliente da Peugeot Sport.

 

O próximo encontro da PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA 2019, iniciativa organizada pela Peugeot Portugal e pela Peugeot Espanha, com a parceria da Pirelli e da Total e a gestão logística da Sports & You, terá lugar na região da Andaluzia (Espanha). Será o Rally Sierra Morena (21 a 23 de março) e estará na estrada precisamente dentro de um mês.

 

Scroll To Top